Arquivo do mês: setembro 2012

Trilha sonora: Olha o Padilha, Moreira da Silva

José Serra, candidato à presidência da República, falou da ausência de uma política de fronteira. Considerou irresponsabilidade o presidente posar com colar de folhas de coca, matéria prima da cocaína, de onde se extrai a pedra do mortífero crack.

A candidata Dilma respondeu que na presidência teria sim uma política de proteção das nossas fronteiras. E mostrou um presente de Lula: o avião não pilotado, silencioso, chamado de invisível, adquirido de Israel. Aliás, 14 aviões, que cobririam o território nacional. “Um espião tecnológico a nos proteger”. Coisa de primeiro mundo.

Mais uma coisa inacabada. Ou melhor, mais uma das muitas anunciadas obras e “reformas” de Lula que não alçaram vôo. A seguir Mario Cesar Carvalho, na Folha de São Paulo:

Sem manutenção, avião antitráfico não voa desde janeiro”

“Uma das estrelas da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), em 2010, o avião não tripulado que seria a principal arma para combater o tráfico de drogas nas fronteiras não voa desde janeiro deste ano por falta de contrato de manutenção. Uma cláusula da compra do sistema, feito junto à empresa israelense IAI (Israel Aerospace Industries), impede a aeronave de voar sem o contrato de manutenção”.

A manutenção não é só para eventuais reparos do avião em caso de acidente. Ela inclui a checagem do equipamento, altamente sofisticado, antes de toda decolagem. Os Vants (veículos aéreos não tripulados) são aeronaves controladas remotamente, a partir de uma base em terra. A versão comprada pela PF é capaz de fotografar o rosto de um traficante a 9.000 metros de altitude, segundo a empresa israelense”.

“No primeiro ano do governo Dilma, a PF anunciou que o projeto inteiro estava orçado em R$ 655 milhões. O pacote incluía 14 Vants e quatro estações terrestres: no Paraná, em Brasília, em Rondônia e no Estado do Amazonas. O conjunto seria suficiente para patrulhar os 15.791 quilômetros da fronteira terrestre brasileira, de acordo com o projeto original.”

Uma única estação saiu do papel

“Em São Miguel do Iguaçu (PR), ao lado de Foz de Iguaçu, na tríplice fronteira. Foi inaugurada em novembro de 2011, pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso. Desde então, o projeto já sofreu com falta de combustível e até de uma carreta para transportar o Vant”.

“O avião voou 400 horas. Identificou cerca de 1.200 alvos críticos, como portos e barcos clandestinos. Parou no fim do ano passado porque acabaram as horas de treinamento que a empresa israelense incluiu na venda. Daí a necessidade do contrato de manutenção”.

A PF diz que não pode informar sobre o futuro cronograma do projeto por se tratar de “informação reservada”. O contrato de manutenção ainda não foi finalizado, segundo a polícia, porque está em fase de “discussão técnica”. A instituição considera “normal” o prazo da administração pública”.

UNASUL DE HUGO CHÁVEZ DITA POLÍTICA DE FRONTEIRA

O presidente da Venezuela leva muito a sério a reencarnação de Simon Bolivar, o Libertador das Américas. Com a sua UNASUL, e outros organismos de controle sul americano, como a nova/velha Triplice Aliança: Argentina, Brasil, Uruguay, contra o Paraguai, Hugo Chavez vem ditando a política de fronteira no continente. José Genoíno, Assessor Especial do  Ministério da Defesa repetia bonitinho a ladainha e os gestos chavista. Dilma prefere plainar em silencio para não mexer “na “política externa iniciada” por Lula.

O Brasil sempre foi respeitado por sua politica externa de não interferência em assuntos internos de outros países. Da não proliferação de armas nucleares. De convivência pacifica. Há uma década está atrelado aos interesses “ideológicos” e estratégicos de Hugo Chavez. O  maior e mais desenvolvido país da América do Sul com as calças arriadas para a pequena, pobre, violenta, rica de petroleo Venezuela de Hugo Simon Bolivar Chavez. Evo Morales o presidente cocalero da Bolivia e Cristina Kirchner, reencarnação moderníssima de Evita Perón, mandam recados e ditam regras para o Brasil. Ridicula, desmoralizante, a submissão da presidenta Dilma às jogadas de Hugo e Cristina contra o Paraguai. Contra o MERCOSUL esvaziado. 

Mais uma prova de que não temos política externa própria. Muito menos de fronteira como ela prometeu ao anunciar o avião “invisivel”.  No chão, por falta de combustível, manutenção, interesse e preocupação real com as nossas fronteiras.

Conselho de Defesa Sul Americano

Não se sabe ao certo qual a participação e o papel dos melhores estrategistas das nossas Forças Armadas no Conselho de Defesa Sul Americano composto por 12 países. Mas sabemos que o Centro de Estudos Estratégicos do Conselho tem sua sede na Argentina. Só faltava ser na Rua Corrientes 348.

Celso Amorim, Marco Aurélio Garcia e outros “estrategistas” indicaram a trilha para Lula deslumbrado pelo presidente caribenho. Uma década de alucinações, projetos no papel, “refinarias, institutos, escolas”, seriam bancados pelos petrodolares venezuelanos. Pancadas de baixa intensidade nos EEUU. O operário “discriminado” pelas elites brasileiras não apertou a mão estendida pelo primeiro negro presidente dos EEUU. Um discriminado pelas elites norte-americanas. A “ideologia” venceu a tecnologia. O atraso venceu a modernidade. Dez anos irrecuperáveis. Um dos livros preferidos da presidenta Dilma: Em busca do tempo perdido, de Marcel Proust.

Fazendo dobradinha com Hugo Chávez Lula  afastou o Brasil dos centros do Saber, Ciência, Pesquisa, Tecnologia, Modernidade.

Lula, acuado pela corrupção e desmoralização de sua “elite” passou a viajar usando recursos e tempo-que não é de presidente-e sim da nação. Passou a defender interesses de Hugo junto ao Irã, Libia, Nicaragua, Argentina, Palestina, em países africanos e asiáticos. Com postura e discurso de Terceiro Mundo-quando não existia mais o “Segundo Mundo” -liderado pela URSS Lula afastou o Brasil dos centros do Saber, da Ciência, Pesquisa, da Tecnologia, da Modernidade. O país precisa de 7, 2 milhões de tecnicos para dar conta da demanda profissional em atividades ligadas ao consumo mediano, diário.

Sucede que o paraquedista Hugo Chavez é de falar e fazer. Lula ficou com a tribuna, as fotos, as viagens, a fama de O Cara e o blá-blá-bla internacional. Hugo foi á luta. Bancou candidaturas. Elegeu presidentes. E está emplacando a sua visão bolivariana na América do Sul. Dinheiro, ainda mais em dólar do “Império”, sempre falou mais alto em assuntos latinos.

“UNASUL é a cooperação sul americana contra o Império”.

José Genoino, presidente de seu partido, réu no Mensalão, Assessor Especial do Ministério da Defesa, em suas entrevistas e declarações repetia o discurso e os gestos de Hugo Chávez: “Precisamos patrulhar as nossas riquezas”. “Temos que ter forças maritimas, aereas e terrestres para defender o Pre-Sal”. “A UNASUL é fruto da cooperação contra o Império”. E Genoíno por pouco não foi Ministro da Defesa do Brasil. Os negocios bélicos são bilionários. Tá bom ou quer mais?! 

A Policia Federal em greve. O avião da campanha eleitoral de Dilma no chão. As fronteiras escancaradas. O tráfico de armas aumentando. Cartéis mexicanos se instalando no país. As FARC livres e soltas na fronteira Brasil/Colombia. Brasileiros sendo expulsos e mortos na fronteira Brasil/Bolivia. Brasileiros empresários do agro-negócio ameaçados, perseguidos, no Paraguai. Vale tudo na triplice fronteira: Brasil-Bolivia-Peru.

As nossas Forças Armadas sem o devido e necessário respaldo para  a sua rapida modernização. Escândalos, burocracia, violência, bagunça urbana, corrupção, lideranças do governo e da “classe”dirigente julgadas no STF, fazem a imagem do Brasil despencar ainda mais no cenário mundial.

Não há politica externa independente. Não há politica brasileira de fronteira. O discurso de Dilma na ONU, uma salada indigesta, sem sal, sem açucar, claudicante, acovardado, confuso, na linha “revolucionária” de Hugo Chavez, José Genoino, Celso Amorim, Marco Aurelio Garcia. Se “Educação não é prioridade do governo” como ensina o senador Cristovam Buarque, imagina fronteira.

 Amigos para siempre

Nesse faz-de-conta em que vivemos para os teóricos, estrategistas, teólogos, ideólogos, “revolucionários” do governo é melhor mesmo que Hugo Chavez tome conta do “abacaxi” fronteira sul-americana onde a foto de Lula com colar de folha de coca ao lado de Evo Morales é cartão de apresentação, de recomendação. 

È salvo-conduto para entrar e sair. Para bons e grandes negócios de “Amigos para siempre”. È melhor mesmo deixar o avião da Dilma no chão. No ar, sob o controle da Polícia Federal, o “silencioso” pode perturbar a “cooperação sul americana” em nossas fronteiras.

                                               

                                                                          

Que flor é essa?

Pois é chegou a primavera. E na campanha eleitoral das eleições que vão  decidir o futuro das municipalidades, cidades, bairros, ruas, avenidas, qualidade de vida, não se fala em meio ambiente, em preservar o verde, os mananciais. Em MT não é politicamente correto defender o que a natureza nos dá, de graça.

Na minha Cuiabá cercada de queimadas, fuligem, fumaça, calor e sufoco intenso, destruição de areas verdes, quintais de mata primária, nenhum candidato a Prefeito apresenta proposta para redirecionar o desenvolvimento urbano. Torres, prédios, condominios, podem e devem ser construidos, mas com respeito à qualidade de vida. “A Prefeitura, a Camara de Vereadores, o Ministério Publico, a Imprensa, a UFMT,  fazem silencio e apoia o “tipo paulista e sulista de crescimento urbano”. “Destruiram lá, estão destruindo aqui”. “Chegaremos a 50 graus, sem vegetação, sem arborização, pouca agua”. As flores são da arvore que dá nome ao Brasil que deveria ser cultivada em nossas escolas, plantadas em nossos parques”. Maria Santos, Cuiábá.

Julgar. Condenar. E punir!

È só falar em algemas “famosos e ricos brasileiros” se rebelam. Constrangimento. Exibicionismo da PF. Extravagancia disse o ministro do STF Marco Aurélio Mello. Exagero. Algema é o chicote da impunidade. È o sinal da Lei e da Ordem. È exemplar. È para envergonhar o safado e seus chegados no mal feito. Para pobre e para rico. E principalmente para quem rouba milhões do dinheiro público. Constrangimento uma ova. 

O Supremo julga, condena, e tem que fazer cumprir a pena em regime fechado, sem regalias. E os condenados devem ouvir a sentença, algemados, sim. Querem mudar o país? O Lula prometia mudanças éticas. Agora não pode ficar arrotando baboseira e desculpas esfarrapadas de quem tem culpa no cartório.

Sempre tem uma primeira vez. Chamem o Padilha.

Tiveram oito anos para se arrepender, devolver o que pegaram. Continuaram arrogantes. Intocáveis. Donos do tatu bola. Certos da impunidade. Se os Mensaleiros condenados cumprirem pena domiciliar, ou em celas privilegiadas com tudo do bom e do melhor vão continuar cuspindo na cara boa do Brasil. Vão continuar articulando, fazendo politica e ganhando mais dinheiro. Na China, em Cuba, alguns deles seriam fuzilados. Outros prisão perpétua. Nos Estados Unidos, algemados. Em penitenciárias, sem regalias. Sempre tem uma primeira vez. Chamem o Padilha: ALGEMA, CABEÇA RASPADA E CADEIA NELES! (Rafael Marques, Belo Horizonte).

Divulgue. Encaminhe: www.oreporternahistoria.com.br

oreporternahistoria@gmail.com

 
[audio:http://www.oreporternahistoria.com.br/wp-content/uploads/2012/09/Breno-Reis-Marco-Viola-Cawboy-sem-Faculdade.mp3|titles=Breno Reis Marco Viola Cawboy sem Faculdade]

Trilha sonora: Cawboy sem faculdade, Breno Reis e Marco Viola

               

O pernambucano Cristovam Ricardo Cavalcanti Buarque, engenheiro mecànico, economista ( Sorbonne, França), professor, reitor, de curriculo exemplar, o primeiro ministro da Educação de Lula. Por suas verdades e projetos: federalização para uma educação pública de qualidade: pré-escola, fundamental, básico, foi demitido em 2004. Desde então a Educação continua uma vergonha. Descalabro do governo. A confirmar o atraso educacional, cultural, cientifico, tecnológico.

“Diferente de construção civil ou montagem industrial, suspensação de aula gera perdas”.

Terminou a mais abrangente e mais longa greve de professores universitários. Chegou a parar 60 centros de formação superior do país. È muito mais que 4 meses de paralisação escolar. È parar o impulso criativo. È castrar iniciativas. È amasssr sentimentos de conquista, vitoria, de perspectivas. È incentivar o despreparo. È desestímulo. È alimentar a mediocridade do ensino brasileiro.

Quantos estudantes ficaram em casa, na biblioteca (onde?) ou na internet, estudando, tentando recompor eles mesmos as aulas perdidas? Começe a ler um livro. Interrompa a leitura por 60/90/100 dias. E para não perder ou captar o fio da meada recomeçará a leitura do meio, do fim, do inicio? O mestre, reitor, ministro, senador, Cristovam Buarque, ensina: “suspensção de aula gera perdas”. E agora cabe ao estudante se virar para saber como, onde, o dia e a hora da “reposição”. Regularizar o calendário academico pode levar três anos.

Cristovam Buarque: “Não se pode deixar que as escolas públicas fiquem paradas por mais de 100 dias, como acontece em alguns estados, mesmo porque essa história de reposição de aulas é uma das maiores mentiras. Os professores não repõem as aulas perdidas”.

Perda de utilidade das universidades

O senador Cristovam Buarque vê a perda da “utilidade das universidades como um dos fatores que estão na origem da greve docente. Para ele, “as universidades não estão adaptadas aos desafios atuais, se estruturando da mesma forma desde o século 20. Antes, quem ia para a universidade tinha o emprego garantido. Hoje, as empresas formam seus próprios profissionais. A universidade não corresponde às expectativas. A greve dura 127 dias porque o governo não vê utilidade nessas instituições“. Há “inversão de prioridades” do governo, que investiria em outros setores, em detrimento da educação.”

    

O pior é querer tapar o sol com a peneira com o lu-lá-lá da reposição de aulas. Lula mente muito. Como coçeira, a mentira pega. Haddad, mente. Mercadante, mente. Marta Suplicy, mente. José Dirceu, mente. Pallocci, mente. José Genoino, mente. Delubio Soares mente. A nação espera que a presidenta Dilma não pegue a doença. Insistir em reposição de aulas é enganação. Mentira educacional. Com agravante. Devastadora. Criminosa. Assim como propaganda enganosa sobre “grandes melhorias” na Educação.

As universidades perderam a utilidade, o objetivo nacional. O Educar para a vida pessoal e da nação. Há mais de quarenta anos a universidade é tricheira de luta “ideológica”. Lula, maquiavelicamente assessorado pela “inteligentzia” universitária, cercou, dominou, usou/usa os centros do Saber para seus interesses partidários. Com resultados nefastos. “Professores, estudantes, quando tomarmos o poder, mudaremos tudo. Faremos a universidade dos nossos sonhos e trataremos os professores com dignidade salarial, humana, social”. ???!!!

A grande greve de 2005 desmentiu Lula. Foram 108 dias de paralisação. A de 2012 confirma ser ele um espertalhão. Arrogante. Mal preparado. Usado pelas forças da esquerda dividida, confusa, seguidista, para líderar massa mal informada, sem consciência coletiva. Como Jânio Quadros e Fernando Collor enganou/engana mais de 60 milhões de brasileiros. Sua reserva partidária de eleitores “comprados” com cestas, bolsas, botinas e dentaduras “modernas”. Usa a dinâmica do consumo capitalista para alardear que “criou a classe média”. E mais

Lula governou de costas para os centros do Saber, Ciência, Tecnologia, Modernidade

Lula governou o Brasil carente de sabedoria e de valores mundialmente aceitos-moralidade, ética, dignidade,  honradez-de costas para os centros do Saber, da Pesquisa, da Ciência, da Tecnologia, da Modernidade. Usou recursos e tempo- que não é de presidente- e sim da nação, para viagens de resultados inúteis. Fez doações. Perdão de dívidas ao Brasil. Fechou negócios. Deu presentes. Deitou e rolou no exterior.

Sem contestação no Congresso. Na TV. Na grande imprensa. Aplaudido pelos “comandos” universitários aliou-se a ditadores. Tiranos de seus povos. Deslumbrou-se com a paranóia do “Comandante das Américas” Hugo Simon Bolivar Chavez. Bebeu chá de coca e eufórico deixou-se fotografar com o Presidente Cocalero, Evo Morales. Imagens escabrosas que deveriam envergonhar o Brasil de fronteiras propositadamente escancaradas.

        

Fez afagos no terrorista Kadaffi chamando-o de “meu líder, irmão, camarada”. Apoiado por oligarcas, facínoras, tentou barganhar postos e posições internacionais. Delirou ser Secretário Geral da ONU. Meteu-se no Haiti, sem ser chamado. De ajuda humanitária o Brasil passou a Dog policial armado. Gastamos milhões num beco sem saida. A idiotice de seus “estrategistas internacionais” fez da embaixada do Brasil em Honduras abrigo de oportunistas. Quem se lembra hoje de Zelaya?

Não se interessou pelos Centros de Inteligencia, de Tecnologia. Não se dedicou a ouvir (já que se orgulha de não gostar de ler) sobre os avanços científicos da Nova Zelandia, Austrália, Canada, Suécia, Suíça, Noruega, Dinamarca, Inglaterra, Coréia do Sul, Cingapura, Taiwan, Finlândia. Ficou na mediocridade interna e externa.

Intercambio com a elite universitária mundial? Plano de carreira dos docentes?

Lula levantou os mais nobres sentimentos do povo. Foi eleito por prometer reformas de base, estruturais. Operário, honesto, digno, não se juntaria à escória política nacional. Não faria alianças com picaretas, corruptos, bandidos. Isso jamais!

O Brasil, finalmente, atravessaria a era Janio Quadros, ditadura militar, Fernando Collor, com altivez e dignidade. Deixando para trás tudo que nos diminui, humilha, atrasa. Professores, educadores, mestres, se fecharam no apoio ao governo. Lula foi consagrado Reitor Político e “Ideológico” das universidades federais!

Lula é a reposição política e moral que não aconteceu.

Não comandou nenhuma reforma essencial ao país. Com uma reforma política razoavelmente moderna teríamos coibido a corrupção Mensal. Semanal. Diária. Lula “que nunca precisou de diploma de universidade”. Que “tem experiencia pra dar e vender”. Cowboy universitário vive matracando, orgulhoso, “que nunca leu um livro” virou as costas para os que tem diplomas. Uma de suas heranças: universidades paralisadas.

Educação por migalhas. “Defensor dos interesses dos trabalhadores” deixou dezenas de greves para Dilma resolver. Uma década perdida. Tempo irrecuperável. Como irrecuperáveis são as aulas perdidas. Lula é a reposição política e moral que não aconteceu. Em suma, uma mentira.

Recado cifrado para Dilma: ” Não saia da linha. Te elegi. Posso parar o país, como nos velhos tempos de agito. As universidades são minhas, os sindicatos também”.

Os cem dias que abalaram as carcomidas estruturas universitárias somam-se ao atraso geral na Educação e Cultura. E a mediocridade é aplaudida na politica. Na cultura, música, esporte. Na TV. Lula não levantou uma dedo para resolver o grave problema da greve.

Educação nunca foi sua prioridade. Ficou calado mandando recado cifrado para Dilma. Lula pode parar o país, sim. Tem professor e estudante que ainda acredita nele. Como ainda temos eleitor de Jânio Quadros, Collor, Sarney…e de centenas de corruptos e bandidos candidatos nas proximas eleições municipais.

Universidade como trincheira de “luta”, pressão e votos

A “ideologia” para consumo eleitoral, má interpretada, decepcionante, fracassada, transformou-se em plataforma salarial, aposentadoria, corporativismo. Veio o cala boca de 25 a 45% de aumento salarial a ser pago em três anos. Para essa conclusão parar aulas por 4 meses? Por que massacrar a já massacrada e fraca educação universitária? Cristovam Buarque está certissímo: universidade não é prioridade. Para oportunistas, espertalhões, medíocres, cabos eleitorais, elas são apenas trincheiras de “luta”. Redutos de pressão e de votos. 

Dois milhões entram nas universidades. Menos da metade concluem seus cursos

Qual é a avaliação dos que concluem? Estudaram? Aprenderam? Dominam a profissão que abraçaram? Ou apenas passaram de ano? Concluiram aos trancos e barrancos a fase mais importante de quem se aventura no mercado de trabalho, na vida produtiva, social, marital, paternal.? Tiraram das costas um fardo pesado? Deram satisfação aos pais? Aprenderam o que? Uma importante pesquisa de avaliação pós-faculdade para o IBGE. Mas, sem o dedo do MEC. Sem interferência política, “ideologica”.

Como bem concluir faculdades com tantos feriados federais, estaduais, municipais, políticos, religiosos. Piquetes. Passeatas. Greves pontuais. Aulas pela metade. Professores despreparados, desmotivados, plagiários. Espertalhões ideològicos. Agitação sindical. Intermináveis reuniões partidárias de blocos e “linhas” políticas. E baladas. Muitas baladas e muitas festas regadas a álcool? Há de tudo no Campus brasileiro. Menos a primazia do ENSINO, do APRENDER, do SER ÚTIL ao país. E o pré? E o ensino fundamental? E o básico??

O que Lula e as lideranças “ideológicas” universitárias fizeram/fazem pela Autonomia? O congresso de Sarney, Collor, Jader, Renan, Tiririca, Genoíno, Zé Dirceu, autoriza cursos e a contratação de professores universitários. Essa gente decide o quê e quem na universidade

Autonomia? O que Lula fez por ela? Compete ao Congresso aprovar a criação de novos cursos e a contratação de professores. E ao vencer em 2003 Lula tinha, políticamente, o Congresso na mão. Sairia, finalmente, a autonomia universitária. Seu grupo intimo deslumbrou-se com o poder. Um ano de alegrias, viagens e plano$.

Em fevereiro de 2004 escandalos explodem. Mensalão. Cada um pra si. Lula saltou de banda. Disse que não “ia para o matadouro sózinho”. Retalhou a administração. Aliou-se à escória para salvar a própria pele e a “governabilidade”. Entregou a chave do cofre do governo para “competentes” como Antonio Palocci. E saiu pelo mundo ditando regras como um novo Oráculo do Terceiro mundo. Quando não existia mais “Segundo” mundo. Desde então nenhuma reforma básica. Gambiarras na Tributação. No INSS. Na Educação. Na Cultura. Nos Transportes. Na Segurança Pública. Nas Fronteiras.

A universidade brasileira “politizada”, partidária, “ideologizada” não é mais centro de Pensadores, Inovadores, Criadores, Inventores, Artistas, Esportistas. 

Não contribui para a evolução da consciência coletiva. Dever do Estado e dos centros do Saber. Às lideranças politicas não interessa a autonomia universitária. As lideranças universitárias “politizadas” gritam por autonomia para não cortar ponto de professor.

Os núcleos partidários não direcionam a luta para acabar com a aberração do congresso aprovar novos cursos e a contratação de professores nesse nosso país-continente. Vejam a composição do Congresso e digam se isso não é Atraso, Mediocridade, Assistencialismo, Coronelismo, Cangalha. 

Controlar as universidades federais é “golpe das elites” das quais há muito fazem parte o PT, o PCdoB, o PPS, o PDT, o PSB, o PSDB, o PSOL, o PSTU, o PMDB, e todas as siglas de aluguel à esquerda e à direita. A todos interessa manter a universidade no cabresto. Comendo na mão do MEC. Do ministro de plantão. Do congresso e de seus “reitores e vice-reitores”. Do “líder ideológico do momento”. Nesse lamaçal nem daqui a cem anos sairemos do atoleiro na Educação, Ciencia e Tecnologia.#

Marcelo Madureira

“O pior desses oito anos do governo Lula é a desmoralização da política. Transformar uma nobre atividade humana em chacota, em atração para picaretas. Vai demorar gerações para o Brasil se recuperar do mal que o Lula fez à sociedade brasileira. À nossa juventude. Às gerações. Desmistificar Lula, um picareta na presidência da República”.

(Marcelo Madureira do Casseta Planeta no programa de TV Manhattan Conection). João Paulo, Belo Horizonte.

Idéia de jerico

Pela TV, Mauro Mendes, candidato a prefeitura de Cuiabá disse: ” ha um novo conceito de distrito industrial. Não precisa ser distante da cidade, de seu centro. Eleito farei mini distritos industriais ao redor de Cuiabá”. Novo rico atropelador.

Progresso a qualquer custo 

Cercada por desmatamento e queimadas. Meses de céu fechado por fuligem, fumaça, bruma escura. Calor de 40 a 47 gráus. Pouca chuva. Umidade relativa do ar baixíssima, perigosa, doentia. Frota de veículos crescendo. Mas, ainda estamos salvos de catástrofe maior por não termos poluição de fábrica, poluentes químicos pesados.

Cercar Cuiabá de chaminés, fornos, poluição química

E o bonitinho espertinho de Goiás quer cercar Cuiabá de chaminès, olarias, fornos, gás carbônico, sulfúrico, enxofre. E o pior. Nenhum repórter pergunta o por que dessa idéia de jerico? Nenhum de seus adversários questiona tamanha estupidez. A capital deve ser uma central de prestação de serviços de qualidade. Turismo às portas do Pantanal. Produtora de arte, musica, cultura, esportes. 

Indústria sim, mas silenciosa, limpa. Tecnologia de ponta. Empresas não poluentes. O estado tem padecido nas mãos de “empresários” trogloditas. Vamos salvar pelo menos a nossa cidade. ( Sandoval Botelho, Cuiabá) 

Todo fundamentalismo é perigoso

O paquistanês do bigodaço teve que fugir de sua cidade. Não é bigode para seita. Todo fundamentalismo é perigoso. O PT começou bem. Meu pai, fanático pelo Lula que lutou contra a censura, a ditadura e prometeu isso e aquilo. A turminha da pesada resolveu fechar o círculo. Pra faturar sozinha. E nasceu o lulismo. O Fanatismo, cega, ensurdece. O resultado da “seita” lulista está no Supremo Tribunal Federal.

Fanático não gosta do filme, sai matando gente.

Não gosta de um livro, queima. Ameaça o escritor. Não gosta da música, quebra o disco. Ameaça o compositor. Não gosta do filme, joga bomba e mata. Mulher de véu. Submissa. Até sem clitóris. Não pode dirigir carro. Rir em público. Não pode mostrar que goza. O cara pode transar com quantas quiser e puder sustentar. Mulher transar com outro morre na pedrada. Pedofilia aceita na cara de pau. O que é isso? Fé? Em que? Em quem? 

Respeito sim. Fanatismo não.

A Inquisição católica matou pensadores, artistas, escritores, filósofos, gênios da humanidade. Muitas guerras “santas”. Quantas piadas maldosas e livros sobre Jesus e seus disciplos. Jesus com Maria Madalena. Gozação sobre a bunda do Buda. E não se mata por isso. Em pleno século 21 bomba e matança por um Profeta?

E malucos querem nos impor tudo isso como tradição sagrada, intocável? Minha vó Ayala que o diga. Respeito ao cristianismo? Sim. Ao budismo? Sim. Ao islamismo? Sim. Fanatismo, NÃO. Tem que ser combatido. O Brasil não pode fazer nenhuma concessão a fanáticos. Desfilam e protestam em defesa de Maomé. Mas, ficam quietos sobre a matança por causa de um filme. Se são imigrantes devem  ser retirados do país. Fanatismo leva ao terrorismo. (Soraya, São Paulo)

Divulgue. Encaminhe: www.oreporternahistoria.com.br- oreporternahistoria@gmail.com