Arquivo do mês: abril 2014

Trilha sonora:

Faltou um passo em Três Passos para salvar o menino Bernardo

Adriana Berger (Pomerode / Páscoa 2014):

imagesveja untitleddesapa images

Vou pela reportagem de Bela Megale e Isabel Marchezan na Veja 23-4-2014: “A história de Bernardo, um garoto magricelo, de cabelos castanhos, era conhecida de boa parte dos pouco mais de 20.000 moradores de Três Passos”.

untitledmorte anunciada

A lembrar-nos da Crônica de uma morte anunciada de Gabriel Garcia Marquez: todos sabiam que facas estavam sendo amoladas para o assassinato e ninguém fez nada para impedir. Na morte do guri Bernardo tem impunidade, barbárie, covardia. Sintomas que tomam conta da sociedade brasileira.

Quantos meninos e meninas estão pedindo atenção e ajuda?

Que lhes dêem bola. Que os tratem com dignidade e respeito. O calvário infantil de Bernardo é digno de filme, documentário, novela.

Mostra fraqueza, passividade, conivência dos agentes da lei com gestores educacionais, religiosos, familiares. Aponta mais uma vez para o enfraquecimento das nossas instituições e o embrutecimento da sociedade nesta década de maus exemplos. De afrouxamento cívico. De patifaria no comando da nação.

Impunidade- Embrutecimento- Covardia

1. Assistente social detalha o caso de Bernardo para a promotora que também recebe relatório do Conselho Tutelar: “o menino era vítima de negligência familiar a exigir acompanhamento”.

2. A escola sabia dos problemas de Bernardo: mal vestido, passava frio, dormia e comia na casa de amigos. (E que a mãe dele havia se suicidado. E que ele era mal tratado pela madrasta com a indiferença do pai). O suficiente para ação enérgica e acompanhamento.

3. O Conselho Tutelar e a Promotora sabiam que o pai do menino não o levou a psicólogo. E não recebia os assistentes sociais. Já uma afronta e delito.

4. Num verdadeiro grito por ajuda Bernardo vai ao Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente. Carente de afeto e atenção vê na Mulher da Lei a mãe protetora que perdera. Senta-se no colo da Promotora. Conta a ela o que muitos com poder de decisão já sabiam.

“Eu não vou pagar o pato”.

2missa imagescaminhada imagesCA4JR3RH

O jogo de empurra é evidente. O exemplo vem de cima. “Nós não podemos pagar o pato” pelas relações (há muito conhecidas) do deputado com o doleiro. Há um passo para ocupar a presidência da República. È a escola do “não vi, não ouvi, não sei”. O exemplo do tirar o corpo fora. Da covardia instalada.

Todos que tiveram contato legal ou familiar com Bernardo acham que fizeram a sua parte. Aquilo que estava ao alcance. Lavaram as mãos. E agora após o brutal assassinato do menino vão à missa. Acendem vela quando Bernardo queria luz em vida. Fazem oração e caminhada por sua “alma”. Dizem-se indignados. Já vi esse filme.

É como na boate Kiss. Na Petrobrás.

Quantas moças e rapazes morreram no incêndio da boate Kiss? Os donos da casa-caixão da morte estão presos? Na compra- boa e ruim- da refinaria em Pasadena/USA quem é culpado pelo enorme prejuízo?Ninguém é culpado. Como no Mensalão “Que nunca houve. Os condenados não formaram quadrilha Seus atos não indicam corrupção”.

“Estão presos por capricho do presidente do STF. Guerreiros e heróis do povo perseguidos pela imprensa de “direita”, oposicionista. Vítimas da “elite branca de olhos azuis que manda nesse país”.

Há um passo da droga e da exploração sexual

images5

O menino completamente fragilizado “sem teto e sem chão” fazia gestos e sinais de SOS. Sozinho, foi ao Conselho de Defesa da Criança e do Adolescente pedir ajuda. Ele não sabia que corria risco de ser cooptado por traficantes, ladrões, assaltantes. Seria um pombo-correio, um avião.

Carente, abandonado, sem uma mão amiga, Bernardo era alvo fácil de pedófilo que o cobriria de atenção, “afeto”, passeios, doce, sorvete. Ele estava a um passo da homossexualidade. Da prostituição juvenil.

Tardou e falhou

“Cada um que não nos trouxe essas informações tem um pedaço de culpa no caixão do Bernardo”. (Promotora Dinamárcia).

Comentava-se pela cidade o abandono afetivo do “filho do médico”. Estaria o MP com “medo de tomar providência porque a família é da classe alta” da cidade? E a diretora e a psicóloga da escola? Os professores? Os colegas do guri?

Scan

E o pessoal do Conselho Tutelar? Da Igreja que o menino freqüentava e foi coroinha? E o Juiz? Faltou um passo para salvar o pequeno Henry Potter de Três Passos. A Justiça tardou e falhou.

Ninguém teve lucidez e coragem para romper o cardápio, o legalês, a rotina. Ninguém quis sair do seu conforto emocional para, efetivamente, apoiar e proteger o piá.

Justificando-se a promotora de Infância e Juventude de Três Passos disse: “muitas pessoas também têm culpa na morte do menino”. Ela diz que vizinhos, amigos da família e a comunidade da escola onde ele estudava tinham conhecimento da situação de abandono familiar em que o menino se encontrava, recebendo pouca atenção do pai e menos ainda da madrasta.

“Vocês dizem: ‘Que horror, o Ministério Público não fez nada. Eu digo: ‘Que horror que o senhor e a senhora que sabiam disso não procuraram a promotoria e nem o juiz da Infância”.

O fato é que todos envolvidos no drama estavam mais preocupados em não aborrecer e se indispor com o pai, médico na cidade. Quando o objetivo primordial era proteger Bernardo. Estar com ele. Não apenas “fazê-lo sentir-se protegido”. Mas, protegê-lo de fato.

Há milhares nesse Brasil embrutecido.

Como o menino Bernardo há milhares nesse Brasil embrutecido pedindo, esperando, ajuda. Que vai além do material, da mesada oficial. Pesquisa para IBGE, IPEA, TV Globo, CNBB, FGV (se as Indiferentes de Brasília assim permitirem):

Por que mães estão matando filhos recém nascidos? Por que mais crimes bárbaros contra a criança? Por que mais mulheres esquartejam, queimam e escondem corpos? Por que a barbárie cresceu nesta última década? Quem e o que são os responsáveis pelo embrutecimento do Brasil?

Fala-se em 100 mil crianças desaparecidas nesse país governado por espertalhões. Falastrões. Alucinados por obras que rendem reais e votos. Cegos e surdos às mazelas que corroem o Brasil.

imagesCANWOZ2E

Administrado por mulheres confusas. Rancorosas. Desatualizadas. Eleitoreiras. Embonecadas. Ativistas sem doutrina. Distantes da realidade urbana e rural como a ministra de Direitos Humanos.

O que Maria do Rosário fez de concreto pelo aprimoramento, fortalecimento, modernização, do Conselho Tutelar? Instrumento fundamental para o equilíbrio das relações pais e filhos. Os Conselhos que conheço estão desaparelhados e desprestigiados.

O que os ministros da Justiça de Lula e Dilma fizeram para acabar com a podridão no sistema carcerário? O que Dilma fez para coibir o crescimento galopante da corrupção, do crime?

Por que a presidente nunca se posiciona contra a barbárie que avança sobre a sociedade? Covardia? Silencio eleitoral? Mulher fôrma de gelo?

Ou ela não se interessa por “assuntos” que serão resolvidos quando “acabarmos com a diferença de classes”? Quando o socialismo bolivariano, lulista, triunfar no país? Mas, já não triunfou? Afinal, quem está no poder ha 12 anos depois de 20 dominando sindicatos, universidades, Cultura, pagando mídia?

O Juiz diferente

É natural, pois, que fiquem surpresos, indignados, com a atitude inusitada, “diferente”, do ministro Joaquim Barbosa. O Juiz que desceu do pedestal dos intocáveis. Dos poderosos. E partiu para a prática do cumprimento da lei. É muito cômodo dizer “fiz a parte que me competia. Julguei, condenei.

“O cumprimento da lei, da sentença, é responsabilidade do Estado”. É dever do governo. Mas, e aí? Nunca na história desse país precisamos tanto do Juíz-Homem da Lei comprometido com ordem e cidadania. Íntegro. Respeitado. Corajoso. Para a salvação do país o Juiz que fazia cumprir a lei e a sentença precisa voltar aos nossos tribunais.

Bernardo, 11 anos, vitima da covardia coletiva

imagesCA4DSKHJ imagesCA4J3FR3  2

Quando olho para o aquário do meu neto de 11 anos me vem emoção pelo desejo do gauchinho magricelo, do menino Bernardo, que queria um peixinho de aquário. Barbaramente assassinado pelas bruxas de Três Passos com o silêncio das Indiferentes de Brasília. O piá Bernardo é vitima da impunidade e da covardia coletiva de Três Passos. Covardia coletiva que se espalha pelo país.

Eu não quero conhecer Três Passos. Eu não recomendo a ninguém conhecer Três Passos”. (AB)

Divulgue. Encaminhe. Envie seu e-mail para receber o RH. Escreve que eu publico: oreporternahistoria@uol.com.br. Para melhor leitura zoom 125. RH/Facebook. Para noticias e mensagens curtas, imagens, JotanymtAlves/Facebook.

 

Trilha sonora:

Em 2013, ex- alunos que se fizeram empresários de sucesso e benfeitores doaram $ 7,7 bilhões. Isso nos Estados Unidos. Sempre me intrigou o distanciamento que ex-aluno brasileiro mantém da universidade onde se formou. Por que esse pouco caso por sua Alma Mater? Por que-com raríssima exceção-ele não faz doações para a sua universidade?

Old Money

“A pessoa milionária tem obrigação moral de dividir a riqueza”

andrew-carnegie-retrato imagesCAYY09TM Nobel imagesJohn rock JDavid

John Rockefeller já velhinho ia ver as obras do Rockefeller Center. David, seu neto, 99 anos, é o mais idoso bilionário vivo. Henry Ford sabia tudo sobre a sua fábricaAndrew Carnagie levava ao pé da letra a máxima da obrigação moral de dividir a riqueza. Ele bancou a construção de 2.800 bibliotecas. O lançamento da bossa-nova no mundo aconteceu no Carnagie Hall em Nova York.

untitledMuseu Modern Art

Desbravadores, pioneiros, magnatas do aço, ferrovia, poços de petróleo, indústria, energia, carro, construção, imóveis, a turma do chamado old Money, moldou a pujança acadêmica, econômica, cientifica, cultural, dos EEUU.

A Fundação Rockefeller doa bilhões em bolsas de estudo, pesquisas ambientais. O Museu de Arte Moderna de Nova York está no terreno da mansão de 10 andares que pertencia à família Rockefeller.

Benfeitoria não foi onda passageira de novo-rico.

imagesCATI614ZCento e quarenta anos antes da independência dos Estados Unidos o pioneiro John Harvard doou uma fortuna para construir aquela que se transformaria na mais conceituada universidade do mundo. Ele é considerado o primeiro grande benfeitor no país. A filantropia, a doação, o terceiro setor, com suas fundações, ONGs, impulsionam, modernizam, e fortalecem os Estados Unidos. O mesmo acontece na Inglaterra, Suécia, Canadá, Alemanha…

A rapaziada do new Money doa o dobro e mais rápido.

imagesCAZHJHSK

A turma do old Money doava muito. A herança cívica deles está nas muitas escolas, museus, bibliotecas, universidades, teatros, cinemas, estádios, monumentos, parques. Mas, a rapaziada do new Money tem pressa. Quem bobear fica pra trás na corrida tecnológica.

Antes de completar 30 anos Mark Zuckerberger doou 970 milhões de dólares para a Fundação Comunitária do Vale do Silício. O “menino” do FACEBOOK é o mais jovem filantropo do mundo. Mas, tem gente na cola dele. Larry Page, CEO do Google, tem visão diferenciada sobre doações.

Ele prefere doar para visionários. Pessoas que podem mudar o mundo. Elon Musk da Space X  “é inspirador, ele pretende enviar humanos para colonizar Marte”. A Copa do Mundo da rapaziada do new Money é ver quem fica com a taça de maior doador.

Muito dinheiro para pesquisa e tecnologia

O ex-aluno inglês, canadense, sueco, norte-americano, tem orgulho de sua universidade. Participa de seus eventos. E quando tem dinheiro dá dinheiro para a sua Alma Mater. Patrocina laboratório, pesquisa, doa bolsas de estudo, biblioteca, ala, estádio.

 Doar em vida

imagesCAOSR5A5 imagesCAS32WCA imagesCAU74KG1 untitledSean Parker

As esposas dos jovens bilionários como Melinda Gates e Priscilla Zuckerbeger doam para pesquisa e combate aos vários tipos de câncer  na mulher.

A nova onda é doar para a ciência. Doar now.  Acabou aquela história do velho rico assinar doações quando já está com o pé na cova. Bill Gates lidera a campanha Giving Pledge. Ele já conseguiu que 400 bilionários doem 250 bilhões para saúde, combate ao câncer, meio ambiente. Além de doar 10 bilhões para o Fundo Global da Luta contra a AIDS Bill Gates já deixou testamento abrindo mão da quase totalidade de sua fortuna pessoal.

“Doar enquanto estou vivo. Quero ver o resultado de minhas ações”. Está é a máxima dos jovens filantropos. Estão doando para a saúde com alvo especifico: câncer de próstata, ovário, melanoma, fibrose cística, AIDS, diabetes.

Um robô a procura de doador

fig5

Todo brasileiro terá problemas com a sua próstata. Muitos terão câncer e morrerão por falta de tratamento. Outros voltarão às suas atividades em tempo recorde e sem seqüelas graças à cirurgia robotizada.

Quanto custa um robô?

Adriana Berger que acaba de perder seu avô querido, operário alemão, perseguido por Hitler, respondeu “compra-se por um milhão de dólares. 90% das operações de próstata nos Estados Unidos são com cirurgia robotizada.

Soube que o único robô de uso público está no Instituto do Câncer de São Paulo. A cirurgia robotizada custa 60 mil reais, ou mais, no Albert Einstein, Sírio Libanês, Oswaldo Cruz, Nove de Julho. Quantos brasileiros podem pagar a cirurgia em São Paulo?

O que me enfurece é que somos o país dos grandes Mobilizadores.

Filantropos de banalidades. Ativistas, arrecadadores, ONGs de baboseiras ideológicas cheirando mofo pré-histórico. Mas, faturando. Num estalar de dedos o Grande Mobilizador, campeão de todas as Copas eleitorais, poderia conseguir doação para a compra, sem aporrinhação na alfândega, de um robô para cada estado brasileiro. Não fez isso como presidente. Pode fazê-lo agora como lobista do bem!

imagesCAXLNIS1

Lula ganha 400 mil por palestra. Já fez e fará muitas. Tem câncer. Não é mais pobre. Poderia doar um robô para Pernambuco, seu estado natal. Afinal, o que são 2 milhões de reais para a Fundação Lula?

Dilma, que tem câncer sob controle, poderia assinar Medida Provisória. Ou exigir que a Petrobrás corte um pouco de sua verba publicitária e importe dez robôs. O que significa 20 milhões de reais para a Petrobras de hoje? O que significa cirurgia robotizada no distante Acre, Rondônia, Amapá, Roraima? No Nordeste, Centro Oeste? Vidas salvas e produtivas. 

Acrescento que todas as doações dos jovens filantropos americanos não superam o enorme financiamento público. O Instituto Nacional de Saúde dos EEUU tem orçamento de 30 bilhões para pesquisa básica. “Para o projeto Genoma Humano há U$ 3,86 bilhões do governo federal”. (AB)

Lula distanciou o Brasil dos centros da Ciência e Tecnologia

untitledlula e aturma

O primeiro negro presidente dos Estados Unidos, um discriminado, estendeu a mão para o primeiro operário presidente do Brasil, um discriminado. Lula esnobando recusou a mão de Obama para aninhar-se nos braços de Hugo Chávez, Fidel Castro, Evo Morales, Kadafi, Ahmedinejad, Mubarak, Fernando Lugo, Biscaya, Kirchner, Noriega, ditadores árabes, africanos.

Lula distanciou o Brasil dos centros de Saber, Conhecimento, Ciência, Pesquisa, Tecnologia, Modernidade. Perdeu tempo que não é do presidente. È da nação. Com a evolução e dinâmica tecnológica, tempo irrecuperável.

Dando pancadas de baixa intensidade nos EEUU. Com diplomacia de malandro otário. Cada vez mais not reliable. O Brasil em avanços tecnológicos e científicos está anos luz da Inglaterra, Canadá, França, Itália, Coréia do Sul, Suécia, Estados Unidos.

untitledTiririca

Uso de princípios ideológicos para corromper. Má gestão. Baixa consciência política. Ferrugem cultural. Embrutecimento. Barbárie. Deram um nó cego no país. Como diz Tiririca, o mais votado deputado paulista: “No mato sem cachorro. Abestalhado”.

Travado, o governo corre atrás da bola para a sua “salvação”. Legislativo, Executivo, Judiciário. O Primeiro, Segundo, Terceiro setor, contaminados, intoxicados, inoperantes, corrompidos.

Por que ex-aluno despreza a universidade onde se formou?

Ricardo Tenuta, ex-aluno da UFMT, disse: “isso deve ser pesquisa para o IBGE e institutos de Comportamento. Que vivem a nos encher de pesquisa “fabricada”. Sensacionalista. Pesquisa boa para político e ativista. Muito interessante saber por que ex-alunos pouco se reúnem. Se formam e nunca mais voltaram ao lugar onde passaram anos de sua juventude. E por que não temos a cultura da doação?

Mato Grosso será o maior produtor de grãos do Brasil

imagesCAKBMPNG

Tenho orgulho de Mato Grosso produzir mais bilionários. Sei que coloquei um grãozinho de soja nessa riqueza toda. No governo do estado organizei o Mato Grosso Convida. Para empresários em São Paulo eu disse: “Podem apostar. Podem investir. Mato Grosso será o maior produtor de grãos do Brasil”.

No preparo deste RH enviei mensagens para saber se há doações dos nossos bilionários para a UFMT? Muitos expostos ao sol abrasador contraíram câncer. Perguntei se algum novo rico, bilionário, doa para o Hospital do Câncer? Perguntei se já fazem cirurgia robotizada em Mato Grosso, campeão brasileiro do agro negócio? Terra da majestosa Arena Pantanal para quatro jogos da Copa? Aguardo resposta@.

Divulgue. Encaminhe para alguém que você conhece no exterior: www.oreporternahistoria.com.br. Texto opinativo, imagens, envie para: oreporternahistoria@uol.com.br. Mensagens curtas, noticias da hora, para JotanymtAlves/Facebook. Para melhor leitura zoom 125.