Trilha sonora:

cropped-ssse1abertura DB

Vírus, ameaças, hackers, spam, violação, torpedos, obrigam www.odiadobrasil.com ocupar este espaço do blog brother www.oreporternahistoria.com.br. Mas, a luta continua!

 

Índice.jpgRey 10353651_820467674651034_5898385001685588583_n images.jpgRey 10704074_820336814664120_4615763616292485242_n

Dr. Rey e Marcos Pontes são candidatos à Câmara Federal. Dr. Hollywood pelo PSC. O primeiro astronauta brasileiro pelo PSB. Ambos por São Paulo.

“È gente nossa”. Ralaram para obter sucesso (palavra ainda proibida no Brasil) e contribuem para dar mais qualidade à política. Que bom se mais brasileiros, ao voltarem do exterior, entrassem na política para ajudar a melhorar o Brasil. Se pudesse, eu votaria nos dois” ( Maria de Lourdes, Campinas).

A história de vida e a batalha de Rey devem servir de estimulo e orgulho para todo brasileiro que se aventurou/a no exterior. De medicina em Harvard à fama pela cirurgia plástica em celebridades. Programa de TV. Empresário de sucesso. Com Marcos Pontes, o Brasil chegou à orbita dos grandes avanços científicos e tecnológicos. Ele deve ser tratado com orgulho nacional.

“Sucesso é afronta pessoal”.

images.jpgDumont images.jpgna Broadway Índice.jpgSinatra e Tom

O ranço ideológico ainda é forte no seio da inteligentzia saudosista das idéias filosóficas da Guerra Fria.  Ranço, mofo, atraso, nas universidades, redações, internet. Invejosos, teleguiados, políticos incompetentes, pilantras eleitorais, defensores da cultura do pobrismo e do coitadismo, tentam desqualificar Rey e Marcos com notinhas “sociais”, rumores, baboseiras, maledicências.

Somos, também, o país da fofoca, oba-oba televisivo, do superficialismo jornalístico. Fizeram isso com Santos Dumont. Fizeram isso com Carmen Miranda. Fizeram isso com o pessoal da bossa-nova.

A ditadura militar exigia “Ame-o ou deixe-o”. Na anarquia e na corrupção que dominam a democracia made in Brazil “Sucesso é afronta pessoal”, disse Tom Jobim. Afronta maior, se o brazuca, obtém sucesso nos Estados Unidos.

O voto no exterior. 355 mil eleitores.

70xa926znb_574oeynevg_file

Os Estados Unidos lideram no número de eleitores brasileiros com 112.252 em dez cidades: Miami (22.294); Nova York (21.240); Boston (18.181); Houston (11.193); Washington (10.575); Atlanta (7.811); San Francisco (7.606); Los Angeles (6.222); Chicago (4.877); Hartford (2.253).
O Japão, com 37.638 eleitores em nove cidades: Nagoya (12.192); Tóquio (7.655); Oizumi (5.387); Hamamatsu (4.489); Suzuka (2.394); Mitsukaido (1.989); Toyohashi (1.652); Ueda (1.545), Takaoka (335).
Em Portugal, 30.190 eleitores: Lisboa, 17.286. Porto, 12.374. Faro, 1.250. As cidades com mais seções eleitorais: Nova York e Miami, com 58 cada. Boston, 50 seções e Lisboa, 44.
“Somos um milhão aqui nos Estados Unidos. Junto, com os demais pelo mundo, mandamos 2 bilhões de dólares, anualmente. Mas, só podemos votar para presidente e vice” ( Jonas Junqueira, Boston).

A ONG Casa do Brasil/Londres criou petição on line para que brasileiros no exterior tenham direito a votar em candidatos ao Congresso.

“Aliás, reivindicação que levantei pelo jornal The Brasilians/NY junto a Ulysses Guimarães quando da elaboração da Constituição após ditadura. Foi nesse embalo que dediquei o Dia do Brasil ao Mr. Constitution. Ao grande paladino pela democracia”.

“Já no governo de Mato Grosso, contei com a colaboração do senador Márcio Lacerda. Levamos pedido ao presidente José Sarney, à Câmara, Senado. Falei com Tancredo Neves. Para que o brasileiro, no exterior, pudesse votar também para a Câmara, Senado. E eleger representante da comunidade junto ao Congresso”. (Jota Alves).

Setembro verde amarelo

benito blast  10569065_616216815158509_1137844061177246987_n banner600px-2

10629670_4472692353506_2058008051211092765_n 10424341_863022743726476_2728355865900818636_n

7v8d3wj6z7e   e6a83d_7ee945eb4d434309843d7274b9e9d137.jpg_srz_p_255_304_75_22_0.50_1.20_0.00_jpg_srz 10653337_755956384466167_8023948972532360609_n

Bombando pelo mundo. Não somente com o nome Dia do Brasil. Exposições. Shows. Festas religiosas. Esportivas. Musicais. Semana do Brasil. Nas ruas, praças, parques, brasileiros se reúnem para lembrar, celebrar, a nossa data nacional. Setembro é o mais brasileiro dos meses. (Joana, Zurique).

1947589_793738417317133_5607344298191216421_n  10414890_10203997983364942_2119943908384757939_n 10606231_313320932171103_1843898057756197316_n

“Tem agência de viagem organizando caravana de pais e filhos para celebrar o dia da Independência no exterior 2015. Aqui fora, a galera sente mais, vibra mais. Estudei com desfile das escolas. Havia disputa de fanfarra. O que houve com esse pessoal que prometia resgatar os valores nacionais? (Pedro, Paris).

Caro Jota Alves, a TV Globo descarnou o seu Dia do Brasil. Quantidade, sem qualidade cívica. Imperdoável, pois, no exterior se é identificado por símbolos, cores, músicas nacionais. Do jeito que vai nem o Hino nacional será cantado, ouvido. Eu estava com meu filho de sete anos quando Jamelão cantou o Hino. Foi o choro mais lindo de minha vida. (Ana, NY).

“Somente artistas da TV Globo sobem ao palco. Estão repetindo caras e vozes (Ivete, Daniel). Virou um Vídeo Show, sem graça. Faturam alto com venda de DVD, novela, shows, produtos, antena de TV. E trocaram o nome do Brazilian Day. Quem são os Caras que venderam o Dia do Brasil? Que deve ser de TODOS, imprensa, artistas, músicos. (Joaquim, Newark).

Teste o seu BR

images.jpgdunga 5   images untitled.pngJanio hpi00587_0_cartier_watches

1. Dunga tem um sósia no cinema. Quem é ele? 2. Quantos presidentes do Brasil não terminaram o mandato? 3. Quem criou, em Paris, um relógio dedicado a Santos Dumont?

Divulgue. Encaminhe www.odiadobrasil.com/www.oreporternahistoria.com.br. Envie notícias, texto opinativo, imagens, para jotalvesnymt@gmail.com. Ver FACEBOOK

imagesCA70LJUKUlysses Ulysses e Jota

* Jota Alves fundou o jornal The Brasilians e criou o Dia do Brasil em Nova York.  Formado em Direito Internacional, Moscou. Exerceu funções de Secretário de Estado, em Mato Grosso. Edita o Repórter na História e o Dia do Brasil.