Custo alto: 39 bilhões de reais (Plus). Benefício baixo: 7 medalhas de ouro, 6 de prata, 6 de bronze.

Rio Olympics Synchronized Swimming

As Olimpíadas existem para os melhores disputarem com os melhores. Não é evento para amadores, sofredores, coitadinhos, perdedores. Vencedores não são educados com “o importante não é vencer, e sim competir”. Nas Olimpíadas, o gol, o que interessa, são MEDALHAS. E de ouro!

Jogos Pan Americanos, Copa do Mundo, Olimpíadas, Paraolimpíada (+ 250 milhões de reais) com a economia esfarelada é decisão de megalomaníacos. “Phoda-se”. Eu sou o Chefe. Ela é a Chefinha. Façam”. Em fevereiro, dinheiro pinta.

Somos educados com a cultura de resultados imediatos.

Em uma semana Marcia era a Deusa do Olimpo. Na outra, Neymar era Zeus. E, se, o goleiro não tivesse marcado aquele golaço defendendo o pênalti mal batido pelo alemão? A seleção não fez uma boa campanha. Ganhou por um triz. Vem ai as eliminatórias para a Copa do Mundo na Rússia.

cobertura-2468-tiro-esportivo-rendeu-primeira-medalha tenente

A primeira participação brasileira foi em 1920 com 21 atletas. 1 medalha de ouro, 1 de prata, 1 de bronze. Décima quinta colocação. As três medalhas, no tiro, foram conquistas do Tenente Guilherme Paraense. Em 96 anos conquistamos um pouco mais de medalhas. Mas, não chegamos aos Top 10.

Eis o que diz a medalhista Ana Moser: O Reino Unido é um exemplo de como os resultados positivos dependem do incentivo ao esporte nas escolas. Os britânicos adotaram um projeto de legado esportivo sustentado na ampliação da carga horária da educação física nas escolas e na consolidação de uma estrutura voltada para amadores e crianças.

Ana Moserimages

O resultado é visível: o Reino Unido ficou em segundo lugar no quadro de medalhas na Rio-2016, embora tenha uma população muito inferior aos Estados Unidos e à China.

Os estudantes britânicos chegam a ter cinco horas de educação física em 100% das escolas, enquanto no Brasil a média é de duas horas. “Em Londres, muitos atletas ganhadores de medalhas vieram do interior da Inglaterra, e não dos grandes centros”.

A Universidade e as Forças Armadas

Enquanto na Alemanha, Austrália, Estados Unidos, Inglaterra, as universidades são celeiros de craques preparados para mais sucesso na vida profissional, no Brasil, as universidades federais, estaduais, estatais, pouquíssimo contribuem com o esporte nacional.

Tomada de assalto pela militância “ideológica” a serviço de espertalhões políticos, a pratica esportiva não é prioridade. O que vale, quem se destaca é o militante que faz maratona de panfletagem, agito, protesto, mobilização. Terminam seus cursos sem corpore sano e com a mente esfarelada. Nem- Nem. Nem atleta, nem profissional de primeiro time.

índice Rafaela-Silva-Atletas-Militares 622_664a5a0c-2b87-3f4a-80b2-fad0057c9765 Miluitar

Nas Olimpíadas Rio foram 145 sargentos- atletas. Quase um terço da delegação brasileira. Eles conquistaram treze medalhas.

A imagem do Brasil no exterior

Olimpíadas, pesquisa IBOPE concluiu: 13% ótima. 29% boa. 30% regular. 8% ruim. 16% péssima. 4% não respondeu. Sobre o quesito que mais me interessa A imagem do Brasil no exterior após as Olimpíadas será: 5% não respondeu, 7% não vai mudar, 31% mais negativa, 57% mais positiva.

40 anos no exterior, dos quais 30, no tambor do mundo, na competitiva e beautiful New York, lidando, fazendo, promovendo Brasil, sua cultura, negócios, esportes, músicas, artes, desenvolvi feeling para captar o que agrada e mexe com a mente, o corpo, o coração, de estrangeiros em geral.

12814709_975213662533954_8036358941964244088_n 13716157_770230676447182_8220225785553250497_n10470193_1730760917158606_6630135286793439118_n13700223_1358166850866883_2660464013173271831_n

Ninguém permanece por quinze anos consecutivos no mais famoso e caro Salão Nobre de Nova York (Waldorf Astoria), com um happening, o Carnaval do Brasil, sem delivery o que é bom, bonito, alegre. Que cativa e apaixona.

13522003_1789061141326465_3735175941679107588_n 13900137_306284803059997_6672484172773104744_n13909375_1176348932424304_8034027708607080491_o14088686_10205197332611752_3949300499191898589_n

Quando abri o primeiro Brazilian Day, em 1985, na Rua 46-NY, eu disse: “Tenho consciência absoluta que criei um evento forever. Será para sempre. Onde 3 brasileiros se reunirem para celebrar o 7 de setembro, haverá um Dia do Brasil”. Quem defende e preserva a boa imagem do nosso país é o brasileiro anônimo, ou famoso. Políticos e governantes tem sido uma decepção. Mancham a imagem do Brasil. Este ano contamos 12 Brazilian Day. E mais exposições e celebrações 7 de setembro.

Olimpiadas notavelcarmen1 Olimpiadas Carmen-Miranda nbcGarota de Ipanema7qsspdpgbdo3m3qef9fydbp5kOLimpiadas tom e heloimages

E o que entregamos? “Arroz com feijão”, bem feito. Escrevi, investi com sangue, suor e lágrimas, insisti, divulguei, promovi, o que temos de mais autêntico, com suas variações e conquistas: Carmen Miranda, Bossa Nova, Sergio Mendes, Vinicius, Tom, João Gilberto, Jorge Ben, Jair Rodrigues, Pelé, Falcão, Romário, Ronaldo, Ronaldinho, Martinho da Vila, Seu Jorge, Daniela Mercury, Baby Consuelo, Garota de Ipanema….

Garota de Ipanema abertura13744021_1049036191877049_297819107_nGarota de ipanema frank jobim E foi exatamente essa combinação de sons, cores, ritmos, que fez a mídia mais importante do mundo fazer referências positivas à Abertura das Olimpíadas. Meses antes escrevi e pedi a presença de Gisele. E perdemos momento único: Gisele terminar seu desfile estendendo a mão para Helô Pinheiro subir na passarela, com a voz de Frank Sinatra cantando The Girl from Ipanema. (Deixar a Garota de Ipanema na arquibancada, naquele momento de magia, foi erro de piloto).

O Maraca e o Planeta seriam sacudidos com um revival da boa imagem do Brasil. Mas, o complexo de vira-lata ante americano não sai facilmente. Avós e pais pro- soviéticos massacraram Carmen Miranda: “Vendeu-se aos Estados Unidos. Voltou americanizada”. Seus bisnetos, netos, filhos, sobrinhos, da esquerda bolivariana, mobilizada e patrulhada por corruptos, poderiam cair de pau se o Maracanã- mais uma vez- aplaudisse Frank Sinatra. Too much!

“A Garota dinamarquesa”: O que tem nessa música de vocês. É penetrante, vai na alma”.

Nada me deixava mais contente que mensagens, imagens, palavras, de astros, estrelas, celebridades, nos eventos que promovi em NY, nos EUA. De suma importância como divulgação e marketing. Nas Olimpíadas foram muitas. Destaco três:

483463 ap411166002837índice - Copia

O premiado ator inglês Eddie Redmayne: “Quando soube que a Gisele Bündchen iria desfilar, pensei “Uau, como vai ser essa entrada. De repente, ela apareceu simplesmente caminhando, deslumbrante. Aquilo com a Garota de Ipanema ao fundo foi de uma simplicidade genial. O que tem nessa música de vocês, hein? É penetrante, vai na alma. Desde que sai do avião, senti algo diferente. A alegria dos brasileiros, sobre a qual tanto ouvimos falar, é real”.

Biles-800x450

Simone Biles, 1.42 metro, 19 anos, leve, graciosa, empoderada, gentil, feminina, se exibiu ao som de Mas que Nada (Jorge Ben), a terceira música brasileira mais tocada no mundo: (Aquarela do Brasil e Garota de Ipanema). Ela disse “treino desde os 6 anos, gosto muito do samba”.

E para a turma jovem (e a velha) do jornalismo, principalmente o televisivo, viciados em repetir história da infância sofrida de atletas, do coitadinho que “roubava mortadela”, do explorado pela elite branca de olhos azuis, fazendo jorrar lágrimas de emoção verdadeira e também de crocodilo,

Usain-Bolt-of-Jamaica-celebrates OT_bolt2

E para os atletas negros destaco o Vencedor, o Raio, Usain Bolt. Ele ensina: “Eu sempre coloco o meu país no topo e tento fazer o melhor que posso. Eu tenho que corresponder às necessidades do meu país. Faço o máximo possível e continuarei fazendo após a aposentadoria. Eu continuarei levantando o meu país”.

Olhem o que ele fez, sem blábláblá de inferioridade e apelo racial: “Mais que ônibus, palestras, pedi uma cláusula no contrato com a minha fornecedora de material esportivo exigindo a doação de uniformes para a equipe de atletismo da escola, todo ano”. A judoca da Cidade de Deus, o boxeador baiano, o ouro da canoagem, todos os nossos medalhistas podem repetir, e melhor, o que Bolt faz pela sua querida e bela Jamaica.

Trilha sonora:

Divulgue. Encaminhe www.oreporternahistoria.com.br. Imagens, noticias, criticas, sugestões, e-mail, enviar para: oreporternahistoria@gmail.com. Ver também www.odiadobrasil.com e Jota Alves-FACEBOOK.

 

 

 

 

 

 

“Um fantasma ronda a Europa. O comunismo já é reconhecido por todas as potências da velha Europa que se unem numa Santa Aliança para conjurá-lo”.

imagesVBAK LeninimagesEntre o Manifesto comunista de Karl Marx e a vitória de Lênin os europeus conheceram o terrorismo do anarquista russo Mikhail Bakunin “a paixão por destruir também é uma paixão criativa”. O Rei Humberto I da Itália foi assassinado pelo anarquista Gaetano Bresci. Ao matar o Duque Francisco Fernando, herdeiro do império austro-húngaro, Gavrilov Princip acendeu a pólvora da Primeira Guerra Mundial.

O fantasma do comunismo evaporou-se. O islamismo radical não é fantasma. É de carne, osso, faca, metralhadora, bomba. E vai continuar matando. As potencias da Europa devem se unir para “conjura-lo”. Por que juntos na União Europeia, Alemanha, Bélgica, França, Itália, não conseguem união e comando centralizado para combater o terrorismo em seus territórios?

A Alemanha de Ângela Merkel

“Os terroristas querem minar nosso senso de comunidade, nossa receptividade e nossa vontade de ajudar as pessoas necessitadas. Nós não aceitaremos isso”. Dentro da armadilha de suas contradições Ângela declara: “A Alemanha está em guerra contra o EI”.

Mas, nega-se aumentar a colaboração do país à coalizão internacional, que luta contra o grupo jihadista na Síria e no Iraque. Para Ângela, a ficha não caiu. Na guerra de morte deflagrada não pode haver meio termo, vacilações. Combater o EI no exterior e não deportar, caçar, isolar, prender, terroristas, no interior da Alemanha, é suicídio.

190c9cfb27adcd5c5c750a25c2484b4bÂngela viveu na Alemanha Oriental. Estudou na universidade de Leipzig, centro de formação marxista. Sua rápida carreira política deve-se aos apelos do ambientalismo, pluralismo, assistencialismo, feminismo, evangelismo. Ela não se declara socialista nem capitalista. Surfa eleitoralmente na industrialização e nas conquistas tecnológicas de uma Alemanha economicamente forte.

Alemães carregam o mea culpa, mea culpa pela destruição que causaram à Europa. Ao abrir as fronteiras da Alemanha, com a sua política de inclusão social ao acomodar grupos étnicos, religiosos, Ângela age como se estivesse pagando a dívida moral de seu povo.

“Vítimas” protegidas por Ângela afrontam o ambiente moral, social, religioso. Mas, ela se recusa a impor respeito e obediência ao estilo de vida do povo alemão.

A inclusão social regada a compaixão de versículos bíblicos mais o pluralismo não apresentam resultados positivos na luta contra o terrorismo. Achando-se politicamente corretos e sob patrulhamento da antiga e moderna esquerda, e pelos seus interesses pessoais, governantes aceitam estilos de vida, hábitos, fidelidades, que avançam sobre a hierarquia de valores e princípios éticos de seus povos.

mundo-alemanha-chanceler-angela-merkel

Daquela Ângela que parecia determinada em governar com objetivos claros, surge uma primeira ministra confusa, misturando coletivismo, vitimismo, altruísmo, igualitarismo. No seu DNA está o marxismo da utopia do mundo sem classes, do governo comum universal.

Contaminada pelo multiculturalismo, ela, belgas, franceses, italianos, se deixam levar pelos que não defendem compromisso com a moralidade, direitos, leis, tradições, pilares da liberdade e da civilização ocidental.

As “vitimas” de Ângela Merkel e da esquerda europeia, latina, brasileira, se fazem de bonzinhos, gente simples, “um amor de pessoa” para minar as resistências internas, cooptar simpatizantes nas escolas, universidades, na intelectualidade, no meio artístico, na mídia. Para matar!

Amparados pelo assistencialismo, com emprego, moradia, escola, hospital, os agentes do terrorismo têm tempo para fazer a “cabeça” de fracassados, traficantes, corruptos, fanáticos, Nem-Nem, e lunáticos que sonham com dez minutos de fama.

Já intoxicados pelo fanatismo passam a queixar-se de não se adaptarem ao modo de vida dos “infiéis” que os receberam. Espalham que são discriminados, e por isso recebem apoio de intelectuais da esquerda, jornalistas, religiosos. Mas, propagam ódio e vingança em bairros e cidades dominadas por seus patrícios e líderes da fé radical.

Ameaçam: “Ou vocês infiéis mudam o estilo de vida, se arrependem, aceitam o nosso estilo de vida, ou morrem”.

Mnique

A Europa, o mundo ocidental, devem entender que terroristas infiltrados locais não atacam o exército, batalhões militares. A tropa inimiga são pessoas que nunca lhes fizeram mal.

O que eles querem destruir nas Ruas, praças, igrejas, escolas, shoppings, aviões, trens, discotecas, é o modo de vida dos infiéis. Querem destruir a liberdade de termos o nosso way of Life, mesmo com todas as suas diferenças econômicas e sociais.

Na Guerra dos Cem anos, na Primeira e Segunda Guerra, alemães, franceses, ingleses, italianos, russos, poloneses, americanos…se mataram aos milhões. Mas voltaram a conviver pacificamente. Criaram a União Europeia para renascer das cinzas. Por mais que ingênuos, irresponsáveis, espertalhões, falem em diálogo, o EI e os diversos grupos terroristas não querem dialogo com infiéis. Deles, só esperem bala, faca, bomba, morte.

A França de Hollande

Hitler em Paris 251575893_545c4fc2df_o FRANCOIS MITTERRAND'S INVESTITURE França socialista

Antes de François Hollande a França foi governada por outro François, o Miterrand. Ele usou 14 anos no poder para apagar mancha em sua carreira política: quando Hitler invadiu a França e urinou numa pilastra da torre Eiffel, Miterrand trabalhava para o governo Vichy colaborador dos alemães. Por bons serviços prestados, ele recebeu do Marechal Pétain a comenda Francisque. Esperto, foi limpando a mancha de ter ajudado nazistas.

“Guerrilheiros que renunciassem ao terrorismo, poderiam viver na França. Não seriam repatriados”

Com a Doutrina Miterrand, ele ganhou rosas vermelhas. Limpou pecados ideológicos. Passou a ser o queridinho da esquerda mundial. A Lei: Convite para as Brigadas Vermelhas da Itália, Alemanha, terroristas da África, Oriente Médio, América Latina. Entre os exilados políticos, lunáticos, mercenários, o terrorista venezuelano Carlos, o Chacal.

1 727carlos-o-chacal_t24398_tGmPIhB_jpg_290x478_upscale_q90

Mercenário, vendia-se a quem lhe pagasse mais. Exibicionista, queria ser ator. Desejo: um filme sobre a sua vida. Profissão: assassino. Ele explodiu bombas em Paris. Pela ética do bolivarianismo Carlos Chacal é revolucionário, herói venezuelano. Hugo Chávez com aplausos da esquerda latina, brasileira, pediu que a França o extraditasse para a Venezuela. Atração fatal: Socialismo do século 21 e terrorismo. (Ler a entrevista de Margarida, mulher de Carlos, em Status, Google).

A pirâmide de Miterrand

Piramide

Dominando o eleitorado com assistencialismo. Fazendo vista grossa ao enxame de imigrantes (futuros eleitores) a sugar empregos, gastos com escolas, hospitais, moradias, o Miterrand exibicionista, midiático, tudo fez para entrar na história como o presidente da Liberte, Igualite, Fraternite.

Sentindo-se francês devedor por Napoleão ter “conquistado” o Egito (simbolicamente, e por pouco tempo) ele “pagou a dívida moral da França” mandando construir aquela pirâmide no belo espaço livre do Museu do Louvre. Aberração que os franceses aceitaram em lugar que deveria ser intocável. E que está com o Vaticano, o Coliseu, a Estátua da Liberdade, o museu Hermitage, na lista dos alvos terroristas.

sartre_22

A França e a sua Cidade Luz são berços de teorias sociais. Filósofos para todos os gostos. Do pluralismo das formigas à masturbação coletiva. De seus filósofos românticos, boêmios, atores, revolucionários, midiáticos, anarquistas, nasceram: socialismo, igualitarismo, vitimismo, assistencialismo, paternalismo, pluralismo, ambientalismo, feminismo, protecionismo, existencialismo, coletivismo, comodismo.( O existencialismo de Jean Paul Sartre, o queridinho da esquerda decepcionada, ajudou a formar a lambança social dos nossos dias).

Pregando relativismo e pluralismo, François Hollande foi bem sucedido. Oferecendo mais incentivos sociais ao sindicalismo, conquistou eleitores. Pela cartilha esquerdista entram no “trem da revolução” gente de todo tipo e tendências, e assim ele ganhou a simpatia dos Novos Franceses. O socialista Hollande preside a França capitalista. Mas, não se pode enganar todo mundo o tempo todo. Uma hora a casa cai.

Prefeita de Paris Francois Hollande A socialista Anne Hidalgo governa Paris. O socialista Hollande governa o país. Ambos, dominados pelo politicamente correto, pelo relativismo: “nada é objetivamente e moralmente certo, todas as culturas são iguais”, acolhem as culturas de imigrantes com a maior naturalidade. Sem questionamentos.

Caíram na armadilha do igualitarismo: viver todos juntos sem considerar as diferenças históricas, nacionais, culturais, hábitos pessoais (Haddad, prefeito de São Paulo, adepto da teoria coletiva da caverna, stalinista, quer empregados e desempregados, sujos e limpos, vivendo juntos no centro degradado da capital)

O prefeito de Londres

Pelo pluralismo e igualitarismo é incorreto, por exemplo, criticar imigrantes islâmicos que insistem, protestam, para que os seus hábitos pessoais, vestimentas, fidelidades, sejam adotados nas escolas, no trabalho, por toda parte. (Você me recebe em sua casa, eu peço para mudar a posição do sofá, da mesa, e que a sua filha troque a cor do vestido, que não me agrada). Sem analise lógica da realidade, europeus não vencerão o terrorismo doméstico. Já estão minados por dentro.

Prefeito de Londressadiq O prefeito de Londres é paquistanês muçulmano. Ele é um homem honesto, moderno. Ele é responsável pela segurança dos londrinos. O teste: ele fará o Serviço de Inteligência da Scotland Yard, um dos melhores do mundo, penetrar fundo nos redutos paquistaneses, de refugiados, bairros dominados pela desordem, convite ao terror? Deportará, prenderá, terroristas paquistaneses, ou simpatizantes e apoiadores do EI?

O rapaz que degolou o padre de 86 anos na França tinha sido detido, mas, liberado por Juiz apelando ao Estado de Direito. No Brasil, Juiz questiona a prisão da turma pró terrorismo.

Cecilia Malan, da TV Globo em Londres, quando noticia críticas de ingleses à política de imigração, à saída da Inglaterra da União Europeia, consciente ou inconsciente, repete o mantra xenofobia (contei 6 vezes) e islamofobia. Nos noticiários brasileiros fazem o mesmo. Exatamente isso querem terroristas e seus simpatizantes. Criar clima de perseguidos, vítimas.

Mesmo deixando de apoiar ofensivas contra o Estado Islâmico, Alemanha, França, continuarão alvo de terroristas. Colhem o que plantaram por misturar fantasia e realidade.

Uma grande civilização não é conquistada de fora até que tenha se destruído a si mesma a partir de dentro. (Will Durant).

Trilha sonora:

Jota Alves, graduou-se em Direito Internacional, Moscou. Em Nova York, fundou o jornal The Brasilians e criou o Dia do Brasil (Brazilian Day). Exerceu funções de Secretário de Governo, em Mato Grosso. Edita www.oreporternahistoria.com.br e www.odiadobrasil.com. Contato: jotalvesnymt@gmail.com.

Divulgue. Encaminhe www.oreporternahistoria.com.br. Sem restrições: podem copiar, reproduzir, imprimir. Contato: oreporternahistoria@gmail.com. Ver www.odiadobrasil.com. e Jota Alves- FACEBOOK.