Land of make Believe: 19-11-2018

Quanto maior a vaidade, mais tolos nos tornamos”

Era uma vez um Rei muito vaidoso e que gostava de se vestir bem. Alfaiate espertalhão, deu-lhe o seguinte conselho: Majestade, eu sei que apreciais andar sempre muito bem vestido. Descobri um tecido muito belo e de tal qualidade que os tolos não são capazes de o ver.

Com um manto assim Vossa Majestade distinguirá as pessoas inteligentes das pessoas tolas, e estúpidas, que não servirão para a vossa corte.

– Oh! Mas é uma descoberta espantosa! Traga-me já esse tecido e faça-me a roupa; quero ver as qualidades das pessoas que tenho ao meu serviço.  O Rei não via nada, mas como não queria passar por idiota, respondeu: Oh! Como é belo! Vossa Majestade está tão elegante!

Todos vos invejarão! A notícia correu: o Rei tinha um manto que só os inteligentes eram capazes de ver. Um dia, o Rei decidiu sair para se mostrar ao povo, desfilando pela cidade com sua comitiva real.

O povo fingia admirar a vestimenta, porque ninguém queria passar por idiota. Mas, uma criança, em toda a sua inocência, gritou:

Olha, olha! O rei está nu!

Ninguém conseguiu segurar o riso. Todos gargalharam e só então, o Rei envergonhado e arrependido da sua vaidade, correu a esconder-se no palácio. (Conto de Hans Christian Andersen)====================================================================

Lula é Deus (Marta Suplicy). Lula é o Chefe (Celso Amorim) Lula é o novo Getúlio Vargas. Lula é o nosso Nelson Mandela. Lula é o maior revolucionário das Américas”.

Nunca antes na história do Brasil um presidente assumiu o poder com tamanha força e poder: sindicatos, universidades federais, partidos políticos, base aliada, empresários, banqueiros, Judiciário, TV, Rádio, Jornal, Mídia, a esquerda latino-americana, a esquerda europeia, ditadores africanos, asiáticos. Lula estava com a faca e o queijo na mão. Ao cortar a mortadela se deu mal.

Líderes mundiais o aplaudiam pela coragem de sua Fome Zero e das muitas promessas. O momento foi de condições econômicas e de investimentos favoráveis ao Brasil. Lula, é o Cara!

“Não irei para o matadouro sozinho”

Mas, celebra o primeiro ano de governo com imagens de corrupção e com o estrondo do MENSALÃO. Sentindo-se traído por José Dirceu, seu Camarada N.1, avisa: “Não irei para o matadouro sozinho”. ( 1. Mais um Tesoureiro do partido de Lula, preso)

Com aconselhamentos externos, equipou o Aero Lula do bom e do melhor, mas, não com ouro, como o avião de Hugo Chávez, e foi limpar a sua imagem, de fora para dentro.

Cientistas políticos, filósofos, teólogos, ideólogos, Reitores, formadores de opinião, por desinteresse, por não entenderem o momento, ou por não deixarem o Rei realmente nu, não se atrevem a buscar as causas do descontrole da personalidade e do caráter de Lula.

Os 4 anos do último mandato da Presidência Lula foram os piores da nossa história republicana: Pois, foi nesse período, que Lula distanciou o Brasil dos centros de Conhecimento, Pesquisa, Ciência, Invenção, Tecnologia, Modernidade, e foi alinhar-se com o pior da política internacional.

Lula nunca Administrou ou Gerenciou. Na luta sindical e política copiou e adaptou dogmas e mantras ideológicos, há muito ultrapassados. Fez fama de carismático por dizer o que pessoas que “não viam” a roupa do Rei, queriam ouvir, e não o que precisavam ouvir.

Entregou o governo do Brasil para incompetentes, delirantes, carreiristas, aproveitadores, corruptos, e foi aninhar-se nos braços de Hugo Chávez, Evo Morales, Fernando Lugo, Ortega, os Kirchner, Omar Kadafi, Ahmedinejad,…

 

“Lula, para Secretário Geral da ONU”

Fidel Castro contente com os empréstimos para o porto de Mariel, os contratos milionários do Mais Médicos, e outras obras, bolou o esquema, e jogou o anzol: Hugo Chávez passou a tarefa para Evo Morales que anunciou a candidatura de Lula para Secretário Geral das Nações Unidas. Vaidoso, Poderoso, Maníaco, o Rei mordeu a isca.

Celso Amorim, o ministro de Relações Exteriores, e Marco Aurélio Garcia, para agradar a esquerda latina, passaram a “dar pancadas de baixa intensidade nos Estados Unidos”, distanciando ainda mais o Brasil do governo Obama, o “negrito de Washington”, segundo Hugo Chávez.

Abriram embaixadas, perdoaram dívidas, deram empréstimos, financiamentos. O BNDES e a Petrobras forneciam o dinheiro para “eleitores” do “novo” Secretario Geral da ONU. Fracasso. E a maior corrupção de governo do mundo! Lula fazia discurso de Terceiro Mundo, quando o Segundo Mundo não mais existia!

A corrupção foi gigantesca. Atingiu todas as atividades da vida nacional. O país tem que ver o Rei completamente nu. Para seguirmos em frente, sem que tamanha barbaridade se repita.

O país não pode desperdiçar esta oportunidade de buscar dignidade, ética, honra, moral. Sitio de Atibaia, duplex em Guarujá, apartamento em São Bernardo, já estão nos processos. E a montanha de ilícitos, desvios, dinheiro, diamantes, joias, no exterior? 16 bilhões, 1 trilhão, 50 trilhões? Quem sabe?

Lula governou sem oposição.

Costurou alianças com todo mundo. A Câmara, o Senado, Judiciário, Reitorias, Sindicatos, Igrejas, Mídia, Arte e Cultura, não foram ao “poço” onde estavam as provas dos delitos e crimes contra a economia, a sociedade, a cultura, as tradições, os costumes.

Com o nível ético do país baixando, a corrupção generalizada foi sendo aceita no Rio, em Cuiabá, em Brasília, em Minas, no Maranhão, por toda parte. Mas, o pior dos crimes de Lula e seu grupo, foi jogar o Brasil no Nós x Eles.

A era do Embrutecimento, da Grosseria, da Vulgaridade.

A era Lula- Dilma, muito mais que tempo de corrupção, foi a Era do embrutecimento, da grosseria, da vulgaridade, do escracho, da promiscuidade, da feiura. 1. A neta de Lula. 4. A professora na Ave.Paulista.

No exterior, o Brasil da alegria, da música contagiante, da moda cativante, mulheres charmosas, homens educados, dos bons costumes, da hospitalidade, foi ficando irreconhecível. Lula sujou a imagem do Brasil, que milhares de brasileiros batalhando pelo mundo, limpam e enaltecem. (ver www.oreporternahistoria.com.br)

Nada do papo furado, do jeitinho: “não se pode governar olhando para o retrovisor”. É esse tipo de desculpa que cretiniza o povo que não vê que o Rei está nu.

    “Lula é preso político. Lula está preso sem provas”. “Vítima do maior processo de mentiras”. E não é só gente caridosa, honesta, simples, dos grotões do Brasil, que acredita nisso.

    Também acreditam, divulgam Fake News, provocações: Reitores, filósofos, teólogos, professores, jornalistas. Uns por fanatismo ideológico, militância, ativismo. Outros, com medo de mudarem o comportamento, ou de crença,  sem terem para onde “ir”.

    O novo governo: sem nenhum tipo de revanche, marketing político ou eleitoral: tem que investigar, mostrar ao povo TUDO que Lula assinou, autorizou, mandou fazer, fez, nos seus 8 anos de governo. Compras e gastos com os Cartões Corporativos. Fala-se em casas, apartamentos, na Itália, Uruguai, Paris…

    Contratar especialistas internacionais em “descobrir” dinheiro e bens no exterior. Nos paraísos fiscais conhecidos, não é difícil. Mas, há político e governante da esquerda latina, guardando muito dinheiro da corrupção e do narcotráfico, nos “paraísos socialistas”. Ditaduras pagam propina em diamantes, ouro, esmeraldas…

    Se nada mais ilícito, criminoso, for encontrado, que Lula cumpra as sentenças proferidas na paz de sua prisão. Caso contrário, e com provas, que se desnude o Rei, para sempre.

    Encaminhe www.oreporternahistoria.com.br. Para receber, e ler com calma, envie e-mail para: oreporternahistoria@gmail.com. Ver Jota Alves e Jotany Alves FACEBOOK.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    “Não existe nenhuma lei que obrigue o governo a jogar dinheiro fora com a imprensa”. José Roberto Guzzo.

    A chiadeira da patota vai ser grande, e suja. Mas, quero ver o presidente Jair Bolsonaro dar um fim a Secretaria de Comunicação, por muitos anos, Ministério de Comunicação Social, espalhando o vírus pelo país, como Secretaria de Comunicação Social.

       

    Não fui Secretário de Comunicação. Mas, pensando alternativas e conseguindo oportunidades, para o meu Mato Grosso, espalhei a bandeira (desconhecida pelos milhares de colonos do Sul que começavam vida nova), outdoors, faixas, cartazes, panfletos, cadernos, comerciais em Rádio, Jornal, TV com: Tudo pelo Social. Estávamos empolgados com a Constituição de 1988. Dediquei um Brazilian Day ao Mister Constitution– Ulysses Guimarães.

    Parem de fingir

    A seguir, trechos do artigo Dinheiro Sujo de J.R. Guzzo: “O fato é que não poderia haver momento melhor para começar a limpeza dessa usina de lixo que se chama área de comunicação social do governo”.

    “Fala-se, é claro, na necessidade, de publicar editais, leis, nomeações e outros atos do governo. Parem de fingir. Tudo isso pode ser escrito no Diário Oficial que já é do poder público e tem que ser divulgado de qualquer jeito”.

    Diminuir ou acabar?

    Jair Bolsonaro disse que vai “diminuir” a verba para a imprensa. J.R. Guzzo vai além: “A única palavra correta no caso, já que ele tocou no assunto das relações entre imprensa e governo, é acabar. Para todos os veículos de comunicação do Brasil, sem nenhuma exceção”.

    “Propaganda oficial não tem nada de pública- ao contrário, é puro negócio privado, bom para quem manda no governo, os donos e empregados dos órgãos de imprensa. Não tem a menor utilidade para o cidadão”. Não há aí nada de critério nem “técnico”- é puro desvio de dinheiro público para bolso privado”.

    A verdade é uma só: o cidadão vai economizar bilhões com o fim da “comunicação social transparente”, sem contar o que deixará de ser gasto com os milhares de funcionários empregados nesse falso serviço”.

    Mas, J. R. Guzzo vive da profissão de jornalista, enlouqueceu? Não. Ele está tunado com os novos tempos. Agora, entro eu:

    Barack Obama, light, Harvardiano, “vaselina”, foi o primeiro candidato à presidência dos Estados Unidos a captar e usar a tecnologia da comunicação direta, pessoal. Era tempo do e-mail, do ORKUT. Ele, soube escolher assessores das novidades na informática. E venceu!

    Donald Trump, empresário da construção civil, estilo trator, sucesso na TV com o programa You are fired (Você está demitido) e livros de Sucesso, usou seu estilo curto e grosso de 4, 5, linhas no Twitter, para driblar a grande mídia cheia de socialistas democráticos, e se elegeu presidente dos Estados Unidos.

    Bolsonaro, o primeiro presidente do Brasil a usar ZAP e FACE, para a vitória com diferença de 10 milhões de votos.

    Partido nanico. Sem “bruxos” do marketing político. Com a grande imprensa cheia de lulistas, contra Ele. Com estrelas e astros do ambiente musical, televisivo, contra Ele. Com Reitores das universidades federais, contra Ele. Esfaqueado (era para matar), soube conduzir a campanha presidencial pelas redes sociais com persistência e aderência voluntária.

    Linha direta com o povo

    1. Uma central de imprensa da Presidência (pode ser Secretaria, Departamento, Sala…) enxuta. Sem chupadores de textos, artigos, vídeos do Google, Wikipédia, Youtube. Com redatores, editores de opinião, conhecedores de História, Geopolítica, Meio ambiente, Cultura, Política externa.
    2. Não é tarefa fácil na mídia contaminada por ideologias do fracasso e dos desejos pessoais encontrar um Porta Voz. Mas, ele- a existe.
    3. Com escrutínio de segurança, credenciar, por degraus de importância, quem fará cobertura no Planalto. Na Presidência. Não dar entrevistinha na saída do carro, no elevador. A Sala de Imprensa anunciará à coletiva do Presidente.

    E, o mais importante e inovador: manter linha direta com os eleitores, defensores, amigos, do Presidente.

    Para isso, uma central, bem protegida, com o mais moderno na tecnologia de informática de relacionamentos. Usar os recursos do Ministério da Defesa para evitar e combater ataques e vírus de hackers e crackers. As sabotagens cibernéticas serão muitas. Preparem-se!

    Tradições, vícios, padrões, não aceitam mudanças, melhorias. Mas, o presidente Bolsonaro se elegeu com a mensagem de quebrar e acabar com esquemas, grupos, coisas, que atrasam o país e prejudicam o povo brasileiro.

    O relacionamento velhaco; as pressões da imprensa marrom, com cores novas; os “bruxos e gênios” do marketing político- eleitoral; são padrões. Com eles, Bolsonaro não teria sido eleito.

    “Não preciso de diploma para governar o Brasil”

    Muito mais que arrogância foi a ignorância que derrotou Lula. Fui o primeiro no Brasil (não é arrogância, é verdade, petrificada nos meus anos de Comunismo e de Capitalismo: vivendo, vencendo, sofrendo, pelo meu país) a escrever neste blog, no início do segundo mandato de Luís Inácio, que ele estava afastando o Brasil dos centros de: Saber, Conhecimento, Pesquisa, Ciência, Tecnologia, Inovação, Modernidade.

    Reitores, colegas de universidade, jornalistas, baixaram o pau num mim. Críticas e ofensas, muitas. Ainda não estava na moda, portanto, não me rotularam de: fascista, homofóbico, racista, machista. Mas, um colega da universidade em Moscou, me carimbou de “coxinha”. Logo eu, que não gosto de coxinha. Mas, de quibe, empadinha, pastel.

      Ao sair ileso do Mensalão dizendo, “não irei para o matadouro sozinho”, Lula detonou José Dirceu, o homem que capinou o caminho para a vitória do grupo, e aconselhado por Fidel Castro, foi limpar a sua imagem, já chamuscada, de fora para dentro.

    Fidel Castro sabia que o ponta- de- lança da América do Sul e Central era o Brasil de Lula. Hugo Chávez recebeu a tarefa de convencer Evo Morales a lançar a candidatura de Lula para Secretário Geral das Nações Unidas.

    Celso Amorim, Marco Aurélio Garcia, a esquerda no Itamaraty, a esquerda nas Américas, inflaram o ego de Luís Inácio. O delírio virou desejo. Cada nova embaixada, um voto na ONU.

    Lula fazia discurso de Terceiro Mundo, quando não existia mais Segundo Mundo.

    Lula distanciou o Brasil do Primeiro Mundo e foi aninhar-se nos braços de Kadafi, Ahmedinejad, Evo Morales, Hugo Chávez, Ortega, Fernando Lugo, os Kirchner. Fez doações, empréstimos, financiamentos, perdoou dividas de ditadores.

    O atraso tecnológico do Brasil é brutal. Acordos, parcerias, devem ser fechados JÁ, com: Inglaterra, Suécia, Canadá, Estados Unidos, Coreia do Sul, Japão…

      

    E por favor Presidente Jair Bolsonaro, no dia 5 de maio, inaugure a Sala de Imprensa da Presidência, com homenagens e retrato do Pai das Comunicações, o meu querido conterrâneo Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon.

    Trilha sonora:

    Divulgue. Encaminhe www.oreporternahistoria.com.br. Para ler os textos opinativos deste blog envie seu e-mail para:oreporternahistoria@gmail.com

    *Jota Alves: em Moscou, formou-se em Direito Internacional. Em Nova York, fundou o jornal The Brasilians. Criou o Brazilian Day. Em Mato Grosso, exerceu funções de Secretário Extraordinário de Governo. Edita os blogs: o Repórter na História e Dia do Brasil.