Trilha sonora: Que Viva Chango, Celina Cruz e Reutilio. YouTube.

È isso mesmo. Parabéns sim pela coragem e determinação da cidadã que retêm segredos de governo. Segredos do Estado brasileiro. Nossa First Lady representou a mulher e o povo brasileiro em eventos internacionais. Ela sabe coisas que ninguém sabe. Merece e deve ser ouvida. Em conturbado momento da nossa história foi fiel ao marido presidente. Na vitória, subiu a rampa do Planalto ao lado dele. Na derrota, desceu de mãos dadas com Collor para o desterro político. Que não aconteceu.

Depois de uma pausa o marido voltou à cena política em Alagoas. Atualmente é senador da República. Inimigo “ideológico” e figadal de Luis Inácio Lula da Silva hoje eles se abraçam como irmãos nordestinos e companheiros de jornadas eleitorais. E outras.

Quem mandou matar PC Farias?

Rosane, inferiorizada, humilhada, prejudicada, nas disputas conjugais, se diz um arquivo que pode desaparecer a qualquer momento. Como Paulo Cesar Farias o arquiteto financeiro das vitórias de Fernando Collor. Quem mandou matar PC? O Brasil não sabe. Ou não quer nem saber.

Magia negra no lugar de perguntas de Estado, de governo, reveladoras, formadoras de opinião.

Surpreendente a agressividade das chamadas e anúncios para a aparição de Rosane Collor no Fantástico. Fernando Collor- o Caçador de Marajás- é cria de Roberto Marinho que usaria todos os meios para não ver Brizola ou Lula presidente da República. Há muito a família Collor- como a família Sarney- são fieis reprodutores da TV Globo em Alagoas e no Maranhão. Por isso esbanjam poder político e eleitoral. O que aconteceu para tamanha afronta ao sócio poderoso? Acerto de contas? Repique? Aviso para lembrar quem realmente manda nos negócios televisivos e na política nacional?

Sensacionalismo barato. Fantasticamente chinfrim.

No seu estilo novelesco o jornalismo padrão TV Globo usou e abusou da fragilizada Rosane Collor. Optou pelo sensacionalismo barato, chinfrim. Ao invés de perguntas de Estado, de governo, reveladoras, formadoras de opinião, tipo: por que seu marido era tão inimigo de Lula e agora são tão amigos? Quem do seu governo é agora gente de poder da era Lula?

Para não ser religiosa e socialmente incorreta a TV Globo centrou a entrevista em Magia Negra. Termo pouquíssimo usado nos rituais de macumba, umbanda, quimbanda, candomblé, congá, terreiro. Se preservassem a história brasileira saberiam que estão nas reportagens da época noticias de “trabalhos” na Casa da Dinda, a residencial oficial do presidente Collor. O que ate a guerra de pastores evangélicos de 1990 aos dias de hoje contra rituais de umbanda era normal e aceitável.

Antonio Carlos Magalhães, Babalorixá da Bahia, poderoso Ministro das Comunicações. Amigo, companheiro e associado de Roberto Marinho na Bahia, e outros negócios, jactava-se de ser “protegido” e de proteger terreiros, mães e pais-de-santo. Ou será que José Sarney, Obatalá do Maranhão, o estado mais caribenho do Brasil, onde o vodu é do pesado, com práticas haitianas, venezuelanas, cubanas, nunca foi a um terreiro, nunca recebeu um “passe”? Ou sua filha Rosana, a Santa Barbara Bendita do Maranhão, também não é uma “protegida”, uma filha-de-santo?

Atabaques e tumbadoras vibram nos rituais com galinha preta, cachaça e charuto, na proteção infinita aos Sarney. Intocáveis. Blindados pela TV Globo e orixás, do bem e do mal. Qual o candidato a prefeito ou vereador nestas eleições se recusará a fazer uma visita à Mãe ou a Pai de Santo? Eles são parte das essencialidades brasileiras.

Resta-nos, de concreto, o livro que Rosane Collor anuncia. O estopim para a queda do presidente Fernando foi o livro de seu irmão Pedro Collor. Resta-nos reforçar parabéns por sua iniciativa. Por se sentir ameaçada como um “arquivo vivo que precisa desaparecer”. Ela que não sofreu impeachment, nem renunciou, precisa sim de espaço midiático e de solidariedade nesse, cada vez mais sujo e letal, ambiente político brasileiro.

Não havia cartão corporativo.

Imaginemos importantes personagens da nossa vida política, servidores e gestores da Federação, do Estado, do Município, do Legislativo, do Judiciário, falando verdades. Pelo bem do país.

Imaginemos se um dia a First Lady Marisa da Silva resolva contar como foram gastos e aplicados milhões e milhões de reais dos cartões corporativos da presidência da República. Que não existia na era Collor. Por isso o cash dado por PC para os gastos da primeira família. Imaginemos Da. Marisa apontando os Judas de Lula. Inimigos dele, de ontem. Amigos de hoje. E verdades do círculo intimo do poder, do Planalto, do Alvorada.

Com certeza um Best seller, antecipado. Ouve-se que por detrás de um grande homem há uma grande mulher. O que seria de Julio Cesar sem Cleópatra? Jesus sem Maria. Lênin sem Nadejda Krupskaia. Hitler sem Eva Braun. Franklin Roosevelt sem Eleonor. Israel sem Golda Meyer. A Inglaterra sem Margareth Thatcher. Clinton sem Hillary. Collor sem Rosane. Lula sem Marisa.

Nações são construídas e reconstruídas com a coragem de seus cidadãos.

Nos tempos modernos não há mais lugar para mulher zumbi. Sombra de marido. Principalmente quando se trata de mulher que esteve ou está no poder. No comando de seu país, de seu povo. Em qualquer esfera pública.

È com gestos, atitudes e posicionamentos que nações se formam. È com memórias, depoimentos, entrevistas, livros, filmes, músicas, pinturas, que se escreve, se consolida, se conhece, se aprende, a historia de um país. È com a coragem de seus cidadãos que países são construídos. Reconstruídos. Seguem em frente. Para melhor.#

 Excelente matéria para o Fantástico. Free of charge.

Que Viva Changó

Não é só brasileiro que vive num mundo Fantástico. De Collor, Lula, bruxas, orixás, Sete Caveira, Exu Mentiroso, da Rosa Vermelha. “Pelo seu estilo”, informa minha amiga Finita Gonzáles, venezuelana, psicóloga de astros e estrelas: “Hugo Chávez se acha filho de Xangô. Mais que isso se acha o Xangô da Venezuela”. Orixá do trovão, raios, fogo, da guerra.

A santeria, umbanda, macumba, bruxaria, é praticada em Santo Domingo, Panamá, Guianas, ilhas do Caribe. No Haiti com o nome de vodu. Mesmo com as restrições impostas pelo governo a santería não morreu em Cuba. Floresce na Venezuela do “cavalo” Hugo Chávez portador da bandeira e mensagem de Simon Bolívar, o Xangô das Américas.

“A contra revolução e a burguesia apostaram que eu não poderia nem caminhar, que estava à beira da morte, que não conseguiria mais suspirar. Até bruxaria eles me fizeram”.

Bruxaria se combate com bruxaria. È claro que Hugo Chávez se protege de todos os lados. Com orixás e, ultimamente, com santos da Igreja Católica. Ele combate, xinga, ofende, cardeais, arcebispos, bispos, padres, freiras: “Eles podem se vestir de cardeais, de bispos, qualquer coisa, mas são o próprio diabo. São defensores dos interesses mais podres, uns verdadeiros vagabundos. O cardeal é um imoral, um vigarista, um pervertido!”

Os bispos são o verdadeiro demônio

“Vejo o cardeal como um troglodita. É indigno que se chame cardeal da Igreja Católica. É uma festa de sacerdotes e bispos… Que o diabo os receba em seu seio! Eu faço a cruz em nome de nós, os verdadeiros cristãos. Não em nome deles o verdadeiro demônio”.

 

 Hugo Chávez se segura dos dois lados. Santos e Missa. Macumba e Changó. E “descarrego” da pesada.

Quem tem ku tem medo. E a tradição ensina que é preciso respeitar as crenças populares e não citar “o seu santo nome em vão”. O timoneiro, o mentor de Luis Inácio, entidade incorporada de Simon Bolívar, na luta contra o câncer, volta-se para a Santa Missa, a oração, o terço, água benta na pélvis, no pênis. Apega-se aos Santos.

Aprendeu com Lula a rezar pelo perdão dos pecados e pedir graça a Padre Cícero. Curado, pagará promessa peregrinando como um beato a Juazeiro. Nessa hora falta-nos um Glauber Rocha para re-filmar com dinheiro do BNDES e das muitas ONGS sociais do governo o seu sucesso: Deus e o Diabo na terra do Sol.

Se procurado, recomendaria ao presidente da Venezuela- tutor do MERCOSUL, íntimo de Celso Amorim e Marco Aurélio Garcia, camarada fiel parceiro de Lula, charmoso sedutor de Cristina da Argentina e Dilma do Brasil- a minha querida protetora Vovó Fifina.

Sempre jovial nos seus 101 anos. Comigo ela nunca errou prognóstico. Eu tinha quinze anos quando, no Ribeirão do Lipa, onde ia matar aula, dando-me banho de arruda com sal grosso ela disse: “você vai viver na matriz do comunismo e no berço do capitalismo, mas só será feliz quando voltar pra casa”.  O que ainda não aconteceu. Vovó Fifina faz e desfaz. Vovó Fifina cura! Saravá Hugo Chávez!

De Amilcar Mendes, Miami/Belo Horizonte:

Elas podem parar o Brasil

As Teles punidas pelo governo- que já está recuando em suas decisões- podem paralisar o país. Basta mexer nos botões. Telefonia é tecnologia. E o Brasil não está preparado para nenhum tipo de disputa ou “guerra” cientifica.

Para que tem servido o ministério das Comunicações? Para politicagem, concessão de Rádio e TV, fazer carreira política, vencer eleição e ganhar dinheiro. Vide Antonio Carlos Magalhães, o homem das Organizações Roberto Marinho, chegou ao Senado. Vide Helio Costa, funcionário da TV Globo, chegou ao Senado. Há muito a TV Globo manda lá dentro. Máfia de partidos políticos disputa emissoras de Rádio e de TV. Bandidagem da grossa.

E o que fez Lula nos seus 8 anos? Nada. Por alianças eleitorais para se perpetuar no poder deixou tudo solto. Ele não poderia mexer num setor que exige conhecimento, leitura, curiosidade cientifica. O Brasil é um maná para as Operadoras. Temos mais celulares que habitantes. São bilhões arrecadados diariamente de um povo deslumbrado, vaidoso e falador. Quanto mais papo-furado, mais paga. Mais as multinacionais faturam.

Para peitar os abusos das Operadoras não basta Agencia Reguladora onde nunca deveria haver propina (algo difícil no Brasil). Há que dominar tecnologia de ponta. Mas como vamos fazer isso com Lula e sua turma do atraso, arrogantemente inculta, ignorante? Eles combatem o capitalismo. Lula e seus puxa-saco no ministério das Relações Exteriores desviaram o Brasil dos Estados Unidos, Inglaterra, Suécia, Finlândia, Canadá, Suíça. Deram as costas para os centros de Ciência e Tecnologia, mas não substituíram nem criaram nada novo. O que é Telefonia móvel senão um refinado instrumento da tecnologia capitalista. O que são as Operadoras TIM, OI, VIVO, CLARO,…? Empresas capitalistas de telefonia, internet, comunicação.

Enquanto o brasileiro continuar “dormindo em berço esplendido”, votando em patifes e analfabetos famosos, passando dez horas vendo novelas e imbecilidades na TV, vai continuar sendo enrabado, teleguiado. Um simples, excelente e lucrativo consumidor.#

Bancos e telefonia ferem pelo menos três regras do Código de Defesa do Consumidor

Pesquisa da Fundação PROCON/SP mostra que os principais problemas são cobrança indevida e não cumprimento e alteração unilateral dos contratos

Yolanda Fordelone/Estadão

Os consumidores que utilizam os serviços bancário e de telefonia celular enfrentam problemas diários que ferem pelo menos três regras do Código de Defesa do Consumidor (CDC).


 
De acordo com um levantamento do PROCON-SP, os dois principais problemas, comuns aos dois setores, são cobrança indevida e abusiva de contas e tarifas e não cumprimento e alteração unilateral dos contratos. As práticas ferem pelo menos três artigos do CDC, segundo especialistas.

“Fere, sobretudo, o artigo 39, sobre práticas abusivas”, diz a advogada Letícia Zuccolo Paschoal da Costa. “A grande questão é que talvez as empresas não estivessem esperando o aumento tão significativo do número de clientes, o que não significa que não estão se preparando agora, para fidelizá-lo”, afirma a advogada, ao comentar sobre as empresas de telefonia.

Esses dois principais problemas, de cobrança e contratos, foram responsáveis por 5.733 reclamações de telefonia celular e bancos no PROCON-SP no primeiro trimestre, 42% do total recebido pelo órgão. Os dois setores são os mais reclamados, sendo que os protestos aumentaram 30,5% entre o primeiro trimestre de 2011 e o mesmo período deste ano.

Além dessa regra, os atos desrespeitam outros dois artigos: o 46, que dá ao consumidor o direito de ter o conhecimento prévio do que estiver no contrato, e o 51, sobre a anulação de cláusulas contratuais abusivas.

“O código está em vigor há mais de 20 anos e mesmo assim ainda há situações absurdas. A empresa não pode simplesmente impor unilateralmente uma obrigação, um encargo e achar que é automático”, explica o diretor da Escola Paulista de Advocacia do IASP, Antônio Carlos Morato. “As empresas não só não podem criar cobranças como também não podem entregar produtos e serviços além do que foi solicitado pelo consumidor.”

Sobre os contratos, o CDC determina, entre outros pontos, que as cláusulas contratuais são interpretadas sempre de maneira mais favorável ao consumidor. Este pode desistir do contrato em sete dias, se a compra do produto e serviço ocorreu fora do estabelecimento comercial.

Contra as práticas abusivas especialistas sugerem que os investidores se informem. “É uma lei que está bem próxima, é até bem conhecida, pois está na internet, há distribuição de cartilhas.

“O consumidor tem de se interessar e conhecer todos os seus direitos”, diz Morato. Ocorrido o problema, caso não seja resolvido em acordo com a empresa, o caminho é a Justiça. “O ideal seria que houvesse uma espécie de súmula vinculante que facilitasse o processo de julgamento, que os pequenos casos fossem julgados no mesmo dia. “A pessoa deve ir ao tribunal de pequenas causas, onde em até 90 dias o problema é resolvido”, explica o professor de finanças da Fipecafi, Celso Grisi.

Mudanças

Os problemas no fornecimento desses dois serviços ainda são muitos, mas as empresas têm tentando diminuir os transtornos. “As operadoras e fabricantes de aparelhos têm investido no SAC para resolver o problema ali mesmo. Ao invés de terceirizar, estão colocando pessoas da própria empresa, que teoricamente têm mais conhecimento dos planos e aparelhos”, diz Letícia. Além disso, no caso dos fabricantes dos aparelhos, a advogada conta que as companhias estão com uma política de acordos mais agressiva.

Na Justiça, também há movimentação. Em março o Senado recebe a proposta que vem sendo chamada de “novo” código do consumidor. “Na verdade, é apenas uma atualização, visto que o CDC é de 1990. “Inclui, por exemplo, questões relacionadas à internet”, comenta Morato. Não há projeção de quando ele deve ser votado.#

Levar vantagem. Quando Bancos institucionalizam o trambique, o passar-a-perna em seus clientes o recado está dado. Deixa de ser uma Instituição de respeito, responsável pela economia e pelo dinheiro circulante do país. Atravessa a linha da decência e entra no campo da ladroagem.

No Brasil em quem ou em quê confiar? No Ministério da Fazenda de ministros como Antonio Palocci? No Banco Central dependente, dominado por banqueiros? Os Bancos fazem o querem, cobram o que querem, prestam serviços como querem, na hora que querem. Daí os lucros escandalosos, estratosféricos. Isso é que dá entregar uma nação-continente a “operários” de araque, proletários de botequim, ideólogos da corrupção. (Amílcar Mendes)

(Os textos deste blog O Reporter na Historia podem ser reproduzidos, copiados, distribuidos, encaminhados)